segunda-feira, 15 de janeiro de 2007

Interrupção Voluntária de Gravidez (IVG), o que decidir?!

Apenas quero lembrar que a Despenalização da IVG não aumenta por si o recurso ao Aborto, mas apenas deixa a futura mãe e MULHER decidir o que fazer com o seu corpo sem que seja penalizada por o fazer. Quero que saibam que este Blog é a FAVOR da DESPENALIZAÇÃO da IVG ! Não defendo a IVG no sentido de meio anti-concepcional, pois creio que nenhuma Mulher recorre ao mesmo por capricho, mas antes por uma necessidade ! Digo tambem que deveria ser o Estado a proporcionar as IVGs através da Segurança Social, e que depois as Mulheres que recorressem à IVG fossem acompanhadas em consultas de Planeamento Familiar ou pela Assistência Social nesses casos; ficando as mulheres sujeitas a serviço comunitário obrigatório quando do abandono das mesmas consultas antes do findar do periodo de aconselhamento ou então a aplicação de coima a ser definida pelo Estado.

2 comentários:

Zeus disse...

Concordo com a despenalização do aborto, contudo discordo que sejamos todos nós a suportar os custos inerentes. Devemos de deixar de penalizar quem o faz, para que possam ser atendidas com dignidade e em condições de segurança e de higiéne, mas pagas pelos próprios. Salvo, claro situações onde a necessidade fosse motivo.

O Profano disse...

Caro Zeus , essa medida que propoem é de deveras importância no contexto socio-económico em que vivemos; pois aplicar-se-ia o Pricípio do Utilizador/Pagador.
Mas não discordando do fundamento da sua posição, penso que se já nos sai do bolso tanto dinheiro devido ás constantes derrapagens de orçamentos que o nosso Governo aplica; apesar de compreender que quem abortar dever pagar esse mesmo aborto; Acredito que o Planeamento Familiar e a Segurança Social deveriam ter aqui uma posiçao forte e importante no controlo e aplicação das medidas necessárias a que as Futuras Mães não tenham acidentes de percurso ou que este último recurso fosse usado como hábito por elas mesmo.