quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

AONDE ANDAS TÚ...

(Este texto pertence a uma série de textos: Série Pensamentos&Desabafos, por isso a semelhança com a realidade é mera casualidade).

Aonde andas tú?

Procuro-te e não te encontro.

Percorro ruas e vielas vazias a ver se te vejo e nada.

Aonde estarás?

Já fui aos sitios onde deambulavas antigamente e nada.

Já ninguém te vê ou simplesmente te recorda.

O que fizeste?

Porque desapareceste?

Porque fugiste?

Já nada te teria para dar esta cidade onde vivias?

Porquê?

Querias muito. Ambicionavas demais...

E tudo para ti era pouco.

Nada te chegava, e era tudo mais e mais e mais...

Hoje se calhar andas caida num beco qualquer e ninguém te reconhece, até eu se calhar já tropecei em ti e não te reconheci.

E tudo porquê?

Por sensações de poder vazio e inglório?

Que nada te traziam de novo ao fim de algum tempo.

Apenas aquela ansia de viver te sofucava, e o escape encontrado por ti não foi o melhor nem o mais feliz.

Perdeste-te por caminhos mal iluminados e seguiste-os sem guia.

E tudo para quê afinal?

Tudo foi sem prazer, apenas dor.

Uma dor lancinante que para sempre te atormentará, a ti e aos poucos que te rodeiam.

Não sei mais o que fazer para te ajudar.

Por certo baixarei os braços um dia como qualquer outro dos comuns mortais o assim faria. Porque até a mim o cansaço vai invadindo.

Mas vou sair mais uma vez para te procurar, pode ser que seja a última vez...

E tudo isto porquê?!

8 comentários:

manuel gouveia disse...

Ás tantas está enfiada nalgum túnel do metro...

R. da Cunha disse...

"E tudo isto porquê?", interroga-se. Nós sabemos porquê. Continue a procurar até que alma lhe desfaleça. Porventura, está aí bem perto, só que Você não tem o olhar adequado ou procura o que já não existe.
Em alternativa, páre uns instantes, reflicta e decida o que fazer/não fazer.

Ana Campos disse...

Se fosse de metro talvez encontravam-se.;)

Nuno Raimundo disse...

Boas Manuel...

...ou nalguma estação perdida sem saber para onde se dirigir...
;)

abr...prof...

Nuno Raimundo disse...

bOAS R. da Cunha...

Talvez perto demais, que não consiga encontrar...
;)

abr...prof...

Nuno Raimundo disse...

Olá Ana...

talvez apenas a um "metro" de distância...
:)
Bjs

SILÊNCIO CULPADO disse...

Nuno


Esta pergunta também fiz a mim mesma muitas vezes quando procurei ajudar alguém e não consegui.



Abraço

Nuno Raimundo disse...

Olá Silêncio...
quando uma sensação de impot~encia nos invade, e sabemos que podemos ajudar alguém, e essa pessoa não o deseja ou aceita sequer, é bastante triste...
Mas se for por chegarmos tarde demais, então... é quase um falhanço pessoal, mesmo que não o seja.
:)

Bjs