domingo, 18 de maio de 2008

Colaboração Bloggeira...

Mais uma vez, o blog http://notassoltasideiastontas.blogspot.com/ publicou um texto meu, no âmbito de uma série de postagens ao domingo onde são convidados outros bloggers que não fazem parte do painel do mesmo.
Agradeço a cortesia de publicarem o texto e assim sendo, aqui fica o texto publicado para os meus Amigos e Visitantes lerem, o qual também pode ser lido AQUI.
"Sem-Abrigo"

Sou mais um "sem-abrigo" na noite.
Um "sem-abrigo" que busca consolo e refúgio da mesquinhez humana andando sem poiso certo.
Um dia aqui, outro dia acolá...
As vicissitudes da vida e alguns actos irreflectidos e imponderados à mistura, puseram-me nesta situação.
E agora tenho de viver as consequências desses actos irresponsáveis, da pior maneira possível, na mendicidade.

O ser humano quando quer, consegue ser maquiavélico e frio ao ponto de virar a cara ao seu "irmão" quando ele mais necessita de ajuda ou abrigo.
As pessoas passam e desviam-se, como se o ar que respiro lhes fizesse algum mal.
Tento sobreviver diariamente com o que consigo obter através de biscates ou da caridade amiga, mas mesmo assim isso é muito pouco. Mas antes isso que nada, não é?!
Tento arranjar trabalho, mas quem quererá no seu emprego um sem-abrigo?
Ninguém!

Para comer e vestir, o que me vão dando vai servindo, mas o que me custa mais não ter, é o que o dinheiro não consegue comprar. A felicidade.
E essa não se consegue sozinho e desamparado como estou.
Já procurei auxilio e o que obtive foram portas fechadas.

Vou vendo o tempo passar vagarosamente à minha frente e para me distrair um pouco, vou enchendo a mente com lembranças e memórias de outros tempos. Tempos idos, mas bons; onde uma mesa farta, boas roupas e uma cama decente para dormir me acompanhavam.
Mas o tempo não anda para trás e todos nós temos de viver com as consequências dos nossos actos, seja para o bom como para o mau.

Não sei o que será o meu amanhã ou para onde irei...
Deambulo sem caminho definido e vou para onde as minhas pernas me levarem até o cansaço me vencer.
Deito-me onde calha ou onde me deixam pernoitar e abrigar do frio.
Mas não é o rio da noite que me incomoda mais, é antes o "frio interno" que vai gelando as minhas emoções e sentimentos.
O que de certa forma atenua e anestesia a angústia que sinto em de viver nesta miséria ambulante em que (sobre)vivo.

E assim são os meus dias. Dias de miséria e sofrimento que tardam em findar...
Autor - Nuno - O Profano

10 comentários:

missixty disse...

Que post tão triste!
Sabes o que ás vezes penso, que cada um tem aquilo que merece! Há pessoas que se deixam afundar de forma irremediável e depois são rejeitados pela sociedade que até sente nojo deles. Metem-se na droga, ou no alcool, por motivos mais ao menos explicados e viram farrapos humanos!Lamentável certamente! MAs só os fortes sobrevivem neste mundo!Acredito que quem lutar pela vida, não acaba assim!
beijinhos

Tiago R Cardoso disse...

O notas é que agradece a tua participação.

Um abraço,
Tiago

Zeus disse...

É o nosso habitat!!! Através da nossa "janela", vemo-los passar todas as noites um pouco antes do nosso estaminé fechar.

NuNo_R disse...

OlÁ MISS...

Na generalidade é assim como dizes , mas existem casos em que não será assim tão linear.

Mas no geral a sociedade tb é "pouco amiga" desta gente, pois rapidamente se afastam do seu encalço e não lhes dão a minima importância, como se nem existissem.
Bjs

NuNo_R disse...

Boas tiago.

quem Agradece sou eu ;)

abr...prof...

NuNo_R disse...

Boas zeus...

é o "mundo" onde vivemos...

abr...prof...

R. da Cunha disse...

Venho aqui apenas para lhe dar os parabéns pela Taça. Merecido, penso eu de que.

NuNo_R disse...

Boas r. da cunha...

Obrigado. Foi um jogo bem disputado pelo SCP.
:)
abr...prof...

ajdiogo disse...

quando leio coisas como o que escreveste fica-me no peito aquela dor que fáz encher os olhos de lágrimas, sabes porquê? porque nasci, cresci e vivo no meio dessa gente de que falas e por nada deste mundo as renegarei são gente linda e tu meu amigo por aquilo que escreves és de nobresa sem limites. um abraço para ti.

NuNo_R disse...

bOAS AJDIOGO...

Agradeço do fundo do coração, palavras tão sinceras como as que dizes.

Nunca podemos renegar as nossas origens sejam elas quais forem.
O nosso berço, a nossa Mátria é lá que se encontra. O resto é apenas acessório para o resto da vida.
:)


abr...prof...