quinta-feira, 30 de outubro de 2008

PORTUGAL, PAÍS DE DOUTORES E ENGENHEIROS...

De facto nunca reparei noutro local qualquer do mundo onde se desse tanto valor às distinções e honrarias como em Portugal. Todos os dias vemos gente que ao pagar as suas contas com cartões electrónicos, antes do seu nome no dito cartão aparece as já tão habituais siglas Arq, Dr e Eng.
E pensava eu que honroso era usar o nome que os paizinhos nos atribuiram...

Já nas relaçõs e no trato se assiste ao mesmo, "o Dr para aqui, o Eng para ali"...
E não saimos disto. Para mim o ideal é como se faz nos paises anglo-saxónicos, guarda-se as distinções para o local de trabalho, pois aí é que elas devem estar para simbolizar a hierárquia existente e nada mais, e na "rua" são todos Senhores e Senhoras, tão simples quanto isso.
Mas como estamos em Portugal e como só copiamos os maus costumes, nada disso fazemos.

Mas o intróito deve-se ao facto de agora se querer acabar com os chumbos escolares até aos 12 anos ( se estiver a errar, por favor corrijam-me!).
O que será nefasto para o sistema escolar e curricular das crianças. Não basta ter crianças que nunca chumbaram, o que temos de ter é crianças formadas, educadas e competentes que no futuro possam abraçar o mercado de trabalho sem dúvidas e com uma formação séria e intocável.
E parece que é o contrário que desejam fazer. Parece que só interessa garantir diplomas e pouca formação nos miudos. O que também poderá levar à morte da Escola Pública , porque já se vai assistindo nos rankings a imensidão de escolas privadas nos seus topos, quando deveriam ser as escolas de "todos nós" nesses mesmos lugares.
Nada tenho contra o ensino privado ou particular, mas se começarmos a privatizar tudo e o Estado a desresponsabilizar-se em areas que deve ter o controlo, qualquer dia pagaremos para aceder a tudo e para que servem os nossos impostos?!
Se já a Saúde é cada vez mais privada, a seguir será a Educação?

Como pai que sou, prefiro que a minha filha chumbe se não estiver preparada do que passe de ano sem ter as noções ou a formação corresponde ao ano lectivo em que se encontre.
Não basta passar os miudos de ano, existe sim a obrigação de os formar, e não é os desresponsabilizando que eles se tornarão em pessoas e seres humanos melhores.

Já basta de tanto Drs e Engs de título, quero é Drs e Engs com formação, sabedoria e acima de tudo Competentes!!!

17 comentários:

António de Almeida disse...

Em primeiro lugar isso de drs e eng. é uma treta, a maioria limitou-se a terminar licenciatura, nem doutoramento fizeram. Quanto à escola defendo a privatização do ensino, mas não vou discutir isso aqui, e sim abordar rankings, se analisar Norte vs Sul ou Litoral vs Interior também chegará a interessantes conclusões. A propósito, fora de Lisboa e Porto qual a escola privada mais bem colocada? É que o ensino privado de Bragança também não é propriamente o S.J. de Brito.

R. da Cunha disse...

Creio que a medida é para o ensino obrigatório, ou seja, até ao 9.º ano. Teoricamente, aceito o princípio, isto é, os alunos que revelem mais dificuldades devem ser acompanhados para adquirirem as necessárias competências, como agora se diz, e poderem chegar ao fim do ano com os conhecimentos mínimos exigíveis. Se assim não for, se passarem de ano apenas para as estatísticas, esses jovens serão, amanhã, uns falhados, incapazes e insociáveis, o que é grave.

Tiago R Cardoso disse...

Parece que se pensa copiar o sistema de ensine de um dos países mais modernos do mundo.

Pouco assunto, copiar em vez de se criar um sistema adaptado à nossa realidade.

Voltando aos títulos, já reparastes nos bancos que emitem cheques onde vem lá o nome e Eng. ou Doutor tal...

Ridiculo...

NuNo_R disse...

BoAS ANTÓNIO...

Concordo perfeitamente. A grande maioria licenciou-se ou tirou um bacharelato e mesmo alguns somente fizeram algumas cadeiras universitárias e anda para aí a "abanarem-se " e a gritar "aos céus" que são doutores disto e aquilo, etc... sem o serem na realidade. E o problema é que a maior parte destes casos, são pessoas incompetentes que se encostam ao trabalho de outros e recebem os çouros de outrém.

Quanto á privatização do ensino, apesar de eu preferir a escola pública ( frequentei os dois tipo de ensino, tenho a minha filha a estudar num colégio privado, não por ser melhor, mas por me ficar mais em conta e por ser mais perto da residência habitual dela.

De facto é verdade, as melhores classificações são as dos maiores centros urbanos em detrimento dos restantes.

E as escolas mais afamadas ( logo particulares) tb têm um poder económico, logo maior possibilidade de contratar melhores professores que as restantes escolas sejam elas públicas ou privadas.

abr...prof...

NuNo_R disse...

Boas r.da cunha...

ainda não consegui saber qual a realidade pois hoje ouvi várias versões.
Mas seja até aos 12 ou 16 anos, para mim devem existir os chumbos, para que as crianças saibam que têm de estudar e que saibam que têm responsabilidades cumprir.
Eu falo do meu caso em particular, com a minha filha até posso ser brando e maleável em algumas situações mas no que toca a escola sou infléxivel ( já os meus pais assim eram comigo e deu bons resultados) com ela. e apenas lhe digo que se o trabalho dela é estudar então que estude, pois eu no meu trabalho se falhar com algo e se for mau funcionário sou penalizado por isso.
e é esta a realidade.

e é por isso que afirmo que não se pode desresponsabilizar as crianças. Todos os dias asistimos a casos de marginalidade infantil, de professores agredidos e desrespeitados pelos alunos e ainda os iremos "aliviar" os estudos?
Não pode acontecer. Se já muitos pais se imiscuam das suas proprias responsabilidades em educar os seus filhos e "empurram-nos" para a escola para serem melhor formados, desta maneira ainda será pior...


abr...prof...

NuNo_R disse...

Boas tiago...

cá estarei para ver num futuro próximo o que darão estas reformas todas...
Ainda serei eu ( neste caso nós!) que iremos formar essa gente toda, para aprenderem com os mais experientes, pois o que aprenderão na escola não será a matéria mas como "se curte umas borgas"... lol
:(

Mas o que me chateia mesmo é eu saber que no futuro irei ser gerido por tais Drs e Eng que de competência não verei nada...

abr...prof...

C Valente disse...

A muitos cheguei a dizer, titulo não é nome de baptismo, só interessa quando simboliza competencia
Saudações amigas e bom fim de semana

JOY disse...

Esta história dos titulos, um tique completamente TUGA, de gente afectada que tem necessidade que a tratem pelo titulo para paracer gente importante, engraçado que são os competentes, e os merecedores desse titulo, que muitas vezes fazem questão de não serem chamados pelo titulo, mas pelo nome, enquanto que há uns complexados que até ficam chateados quando tal não acontece. Enfim palavras para quê são artistas portugueses.
Relativamente aos rankings, enquanto forem elaborados ds forma como são, não lhes ligo nenhuma uma vez que estamos a comparar realidades que não são de forma alguma comparáveis, relativamente á situação de não se chumbar atá aos doze anos não me choca se for acompanhado de uma nova mentalidade a nivel do ensino e não apenas com a necessidade de trabalhar para as estatisticas se for essa a politica tudo bem senão , deixem as coisas como estão. Uma coisa é certa se rusulta nos outros paises não vejo motivos para não resultar aqui, e também tiveram de começar por algum lado, mas deixo bem vincado se é só para a estatistica deixem tudo como está .

Um abraço
Joy

Kruzes Kanhoto disse...

As editoras não vão gostar da medida. Provavelmente muitos pais deixarão de comprar livros aos filhos pois eles tornar-se-ão desnecessários. Com ou sem eles os putos passam na mesma e sempre se poupam mais de cem euros...

SILÊNCIO CULPADO disse...

Nuno
Se Portugal lança os licenciados no desemprego tanto faz que estejam bem como mal preparados. E para ser caixa dum hiper qualquer curso é adequado.
Por este andar as mordomias podem passar a ser assim: apresento-vos o sr. engº. porteiro, o senhor dr.motorista, etc, etc.
Temos uma saúde para ricos e outra para pobres, a educação irá pelo mesmo caminho.
Para os lugares de topo não vão os melhores mas os que têm boas cunhas não acessíveis a 80% da maralha.
Já agora para que é que deveria haver chumbos?
Viva o país da cunha e dos desempregados.

Abraço

Goncalo disse...

A questão dos drs. e dos engs. é a versão moderna dos títulos nobiliárquicos no tempo da Monarquia. Afinal de contas, todos ouvimos falar no marquês disto, no conde daquilo, no barão dacoloutro, mas nunca sabemos o nome real da pessoa. Por exemplo, alguém sabe o nome do Marquês de Pombal?

Há uns anos, houve uma confederação patronal qualquer que defendia que, em nome dos negócios com parceiros internacionais e evitar eventuais problemas diplomáticos, se deveria acabar com os tratamentos por arquitecto, dr. , eng., etc. Creio que a proposta pode parecer um pouco estranha, mas fazia todo o sentido.

Jorge P.G disse...

MUITO BEM!

FINALMENTE OS PAIS COMEÇAM A ABRIR OS OLHOS E A VER QUE O QUE SE PRETENDE É APRESENTAR NÚMEROS DE SUCESSO!
É CLARO QUE SE OS MENINOS NADA SOUBEREM... A CULPA É DOS PROFESSORES! FACILEX! SIMPLEX!

O QUE PRETENDE A ministra É ACABAR COM AS REPROVAES ATÉ AO 9º ANO, E NãO APENAS ATÉ AO 6º!
E ISTO PARA JÁ...

E NÃO QUERES TU QUE SEJAMOS UM PAÍS DE "DOTORES E INGINHEIROS!..."
CADA VEZ MAIS, MEU AMIGO!...

UM ABR.
Jorge Sineiro, prof. por vocação cedo revelada.

NuNo_R disse...

bOAS C...

Nem mais. Eu não diria melhor.

abr...prof...


Boas Joy...

o teu ponto de vista parece-me acertado.
Mas tenho algum receio se as medidas mesmo que adoptadas de paises onde propesram, se cá consefuiremos imita-las ou apenas deturpa-las como de costume...

abr...prof...

NuNo_R disse...

Boas kruzes kanhoto...

se assim acontecer, mais uns quantos irão para o desemprego...
mas como estamos em época de poupanças, poucos se preocuparão com isso.

abr...prof...

OlÁ lÍDIA...

De facto o que afirmas é o que se vai passando, uma realidade bastante negativa.
Anda um jovem a estudar anos a fio, os pais a investir nele, e no fim quando atinge a meta almejada, o tão desejado curso supeiror, verifica que o mercado laboral não tem espaço para ele...
E depois tem de se agarrar a qualquer oportunidade de trabalho para fazer frente ás suas despesas diárias.
é bastante mau, mas é o que acontece.

Bjs

NuNo_R disse...

Boas gonçalo...

Desconhecia tal proposta, mas não me parece descabida.
era mais correcta para todos.

abr...prof...

Boas Jorge...

O meu caro Amigo e Prof. sabe o que penso sobre a relação Pais-Filhos-Escola-Professores..... e estamos em sintonia em quase tudo.
:)

abr...prof...

escarlate.due disse...

a diferença de resultados nos rankings escola publica/escola privada, não é uma assunto tão simplório assim. na verdade, não basta observar os resultados numéricos para tirar conclusões.
mas hoje não tenho tempo (e talvez este nem seja o local) para clarificar essa questão.

quanto às reprovações, é outro dos assuntos não simplório. efectivamente concordo consigo que chumbar não é o fim do mundo e nem deve ser um castigo, mas tão-somente a oportunidade de recuperar o que não se aprendeu. e "chumbar" ainda é possível, dá é trabalho aos professores porque o novo sistema exige que eles justifiquem essa decisão.

satisfaz-me saber que prefere uma filha bem formada a uma que nunca reprovou. realmente drs e eng já cá temos demais e digo demais porque infelizmente uma boa parte deles são-no apenas de titulo e não de qualidade. além de que um país não precisa apenas de quadros superiores (por isso é que estão tantos no desemprego) precisa também de técnicos, por isso mesmo discordei quando encerraram os cursos profissionais (industriais e comerciais).

aceito inclusivé quem não gosta de estudar. caramba, há outras coisas que se podem fazer e isso não é sinónimo de inútil. só não aceito que vivam à custa de outrém mas isso é mais frequente nos drs e eng que aquecem as cadeiras do assembleia. culpa nossa? sim, também, de todos nós que o permitimos.

NuNo_R disse...

Boas escarlate.due...

A ideia geral do post é criticar a forma como se "educa" em Portugla, desresponsabilizando cada vez mais os menores e estudantes, passarem de ano quase de "bandeja" e com pouco esforço, sem se darem ao trabalho de estudarem muito e que sem se preocuparem em se formar e se preparar para o dia de amanhã e consequentemente para o seu próprio futuro.

E depois lá estaram os factores "C" a trabalhar e entregarem os lugares a "alguém" sem a minima capacidade de executar determinadas funções em detrimento de quem realmente se esforçou, mas que por não ter uma padrinho assim ou assado nunca passará do lugar debaixo.
E depois hoje em dia a Educação nas escolas nada beneficia arellação professor-aluno, levando às já tão habituais faltas de respeito dos alunos por quem os está a formar como pessoas e cidadãos.
E se as crianças tb não levarem as bases já de casa, e culpo grande parte dos pais em não se preocupar com os seus filhos, dando-lhes alternativos de educação, vulgo PSPs, XBOXs e afins apenas para que eles lhes façam as vontades em casa, mas que depois na rua teem comportamentos diferentes.

abr...prof...