quarta-feira, 1 de outubro de 2008

JORNADA DE LUTA...

Hoje decorre em todo o país, uma jornada de luta ( em alguns casos mesmo foi convocada greve) contra o novo Código do Trabalho que o actual governo quer implementar a todo o custo.
Estou solidário na luta, pois este novo Código desequilibrará ainda mais as relações empregador-empregado, com um pendor bastante marcado para o empregador, retirando dessa forma poder de luta e reinvindicação por parte de quem trabalha, para além de outras "maldades" que traz consigo, nomeadamente o malfadado "banco de horas" , que apenas servirá para explorar o trabalhador com a desculpa de aumento de produção. O que é errado, mas como em Portugal o lock-out é inconstitucional, promove-se dessa forma o seu contorno e tudo à vista de todos.
Existirá também um ataque maior á contratação colectiva, o que levará a que a uma desregulação laboral em muitas empresas, que tentarão de todos os meios possiveis acabar com direitos conquistados noutras lutas anteriores.

E assim para não me alongar no post, pois este tema é bastante caro para mim, apenas posso dizer que não pudemos baixar os braços e não nos pudemos deixar comer por parvos e por "falinhas mansas que apenas servem para nos amanteigar o espírito e pouco o bolso"!
Pois nós andamos cá para trabalhar mas acima de tudo para ganhar o que merecemos pelo "suor" e esforço que desempenhado!

8 comentários:

Tiago R Cardoso disse...

concordo, trabalhar e receber o justo resultado do nosso trabalho.

R. da Cunha disse...

Viva o Sporting!

Jorge P.G disse...

Em Espanha, 1 em cada 4 jovens até aos 25 anos está no desemprebgo, ou melhor, à procura do 1º emprego na maioria dos casos.
O país é o de maior número de desempregados da Europa dos 27, ou lá quantos já são, nos últimos 4 meses. Isto mesmo pode ler-se nos jornais espanhóis de hoje, 5ª feira.

Por cá, as coisas são o que sabemos.
O aperto de tenaz da economia chinesa à mundial vai-se fazer sentir ainda mais!
E se em Portugal até nme se sente tanto como em outros lados, tal deve-se ao facto de nada produzirmos, praticamente. E isso é bom?
NÃO, mas de momento dá um jeitão...

Um abr. do Sin.

António de Almeida disse...

-Só que o amigo Nuno poderá fazer um outro post a explicar-nos, pelo menos a mim, como é possivel que à maior parte dos grevistas de hoje, não lhes seja aplicável a Lei ou Código do Trabalho, como preferirem. Não seria suposto serem outros os grevistas?

NuNo_R disse...

Boas tiago...

Nem salário a mais, nem de menos.
Mas sim o justo e merecido.
abr...prof...

Boas r. da cunha...

Allez allez...

Agora falta ver no que dá no domingo eheh ;)

abr...prof...

NuNo_R disse...

bOAS Jorge...

De facto a realidade é essa, infelizmente. Quase todas as grandes economias estão em recessão.
A unica esperança que temos é que estes fenomenos são ciclicos, restando-nos esperar que já nos encontremos no seu pico ou então no periodo de descida, senão vamos passar uns tempos algo incomodos para os nossos bolsos e familia...

abr...prof...

Boas antónio...

Podia a até fazer o tal post, pela grande consideração que tenho ao meu Amigo.
Mas seria mais um post a bater na "precariedade laboral " no "patronato em geral".

Penso que a grande maioria de quem fez greve , fê-lo na convicção que a situação laboral e economica não é boa nem agradável e que as mmudanças que o novo Código Laboral ainda trarão piores condiçoes na sua generalidade. De facto, tb quem deveria ter aderido á greve, não o fez, mas tb por ter um trabalho precario e sem direitos que lhe possam valer, logo se fizer greve ou até mesmo se aderir a um sindicato, o seu posto de trabalho podeia ficar "ameaçado". sei o que digo, porque acompoanhei de muito perto estes acontecimentos infelizes.
Mas tb ainda bem que na maioria dos casos ( pelo menos nas grandes empresas), os trabalhadores se podem sindicalizar sem serem penalizados por isso, mas ainda uma "coisa" que é constitucional, que é o direito a ser sindicalizado, ainda em pleno sec xxi é mal vista por muita gente, o que é errado e inconcebivel.

Por isso mesmo, penso que ontem quem fez greve estava no seu direito em demonstrar o descontentameno contra o "que vem por aí".
e eu só não o fiz porque no meu trabalho não foi convocada greve, mas antes plenários, onde tive muito gosto em ir e ouvir por parte das ORTs explicações sobre o que é o novo código bem como os maleficios que irá fazer ao meu actual regime laboral. Perdendo eu no futuro alguns direitos que anteriormente tinha e em que as obrigações serão ainda maiores mas por menos dinheiro.

Assumo que não pudemos por o dinheiro á frente de tudo, mas no que toca a trabalho, eu o faço assim.
se trabalho gosto de ver o meu esforço premiado e pago de forma justa. e por isso sou tão critico, ás vezes quase faccioso ( o assumo) contra quem abusa dos trabalhadores e o quer que quase paguem para trabalhar.
Apenas desejo felicidades a quem tem bons trabalhos, pois isso seria o ideal para todos os trabalhadores.

Mas falando do codigo, tal como tudo, trás coisas boas tb que aumentam a proteção dos trabalhadores; mas as medidas de carga negativa são maiores e mais "perigosas", logo atenuam e anulam até a maioria dos beneficios.

PS: Não foi um post, mas quase... (lol)
;)

sei que eu e o António temos ideias semelhantes em muita coisa, mas neste tema, discordamos de forma salutar e que propicia ao debate da ideias.o que eu desde já agradeço. :)

SILÊNCIO CULPADO disse...

Nuno

Não podemos nem devemos baixar os braços.

Abraço

NuNo_R disse...

Olá silencio...

é verdade. não devemos nem pudemos!

Bjs