quarta-feira, 28 de fevereiro de 2007

CONSUMIDORES...

A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor defende a ideia do Comércio abrir e fechar portas num horário dependendo do consumidor. E então os outros serviços que existem, sejam públicos ou privados, também alargarão o seu horário e período de funcionamento?! Não nos esqueçamos que TODOS somos clientes e utentes uns dos outros e que vivemos numa sociedade simbiótica em que para “receber” também é preciso “dar”! E esse equilíbrio é fundamental para o bom funcionamento de ambas as partes na sociedade (comercial) em que vivemos. E ninguém se pode esquecer que os Comerciantes também têm família para cuidar, e como todos os cidadãos, precisam de tempo para tratar da sua vida; não podendo ficar sob os “caprichos e vontades” de outrém. Porque acima de tudo TODOS temos direito a ter vida própria... e não somente estar a trabalhar! Deverão antes ser criadas condições, através de estudos de local e de mercado, que possibilitem as condições para que ninguém saia prejudicado, sejam clientes ou comerciantes. Em análise, deverão ser estudados os targets a que se destinam os produtos, horário de maior frequência de clientes e horário de “vida” do lugar onde o comércio se encontre implementado. Assim os espaços comerciais iriam-se tornar mais rentáveis e com maior e melhor tempo de atendimento pois a qualidade do serviço prestado também é importante.

7 comentários:

Ricardo disse...

Caro Profano,

Vou dar-te a minha opinião sobre este assunto.

Acho que os comerciantes deviam ter a liberdade de escolher o horário que mais potencia os seus lucros.

Mas aqui entra na discussão várias interacções desde já com os trabalhadores, ou seja, independentemente do horário escolhido há leis laborais. Essas estabelecem o número de horas máximas e a remuneração conforme o horário em que trabalham. Por isso o comerciante ao escolher o horário tem que ter em conta que vai ter mais ou menos custos laborais e que não pode colocar um trabalhador mais do que o número máximo de horas semanal.

E aqui também entra a confiança do consumidor que deve saber antecipadamente o horário de funcionamento e a regulação obriga a isso mesmo, ou seja, que essa informação seja prévia.

Mas sou defensor duma maior liberdade no horário de funcionamento porque, ao ter que respeitar as regras e leis do mercado de trabalho, o comerciante pode adaptar-se a várias realidades sem prejudicar o trabalhador. E só assim podemos tirar o máximo proveito do comércio e melhor satisfazer as necessidades dos trabalhadores e consumidores.

Abraço,

São Cível disse...

Saudações profanas!
Voltarei com mais calma para usufruir dos seus textos. Para já, e pelo pouco que aqui li, pareceu-me ser esta uma casa muito recomendável.

ruteebeatriz disse...

ontem qd ouvi a noticia tb pensei, e os trabalhadores que ficam até mais tarde que regalias têm eles?
Tb ouvi muitos a dizerem que concordam, sim é muito bom.
Será que será assim tão bom, durante a semana não sei se terá algum fundamento ao fim de semana já concordo

Bjs
rute

O Profano disse...

Agradeço ao São Cível a visita, e venha sempre que entender e quiser comentar.Ésempre bem-vindo, como todos os outros visitantes.
Abraços Profanos!

O Profano disse...

Olá Ricardo!
Concordo, mas temos de pensar que nem sempre o lucro (vulgo o dinheiro) pode estar á frente de tudo. E numa perspectiva capitalista e consumista até aceito que se aumente e melhore o periodo de funcionamento do comércio. Mas temos de nos lembrar da vida dos trabalhadores, que mais uma vez serão os sacrificados. Vão ver as suas vidas alteradas, horários de refeiçao, tempo de escola dos filhos e outras tantas situações que não consigo explanar neste local, mas que todos nós sabemos por experiência própria.É com isto que eu estou fundamentalmente preocupado. Temos de pensar um pouco nos outros também, e não só nos nossos impetos consumistas, pois assim as lojas estariam abertas 24/7, não era?!

Ricardo disse...

Caro Profano,

Só estariam abertas 24/7 se o ramo do comércio compensasse ter, pelo menos, o triplo dos custos com o trabalho (o triplo do trabalho) e os outros custos operacionais. Se houvesse um ramo que tenha vantagem económica em estar aberto 24/7 porque não? Mas são poucos os que compensam... o mercado manda. Além disso não me parece que não houvesse trabalhadores interessados em receber bem mais por trabalhar noutros horários. É uma questão de eficácia.

Abraço,

O Profano disse...

Sim é verdadde. Mas penso que em Portugal não estamos habituados a estas ideias e também, devido á despesa que acarreteria essa situação (um periodo maior de funcionamento) não vejo os comerciantes muito suscetiveis a estas mudanças. Talvez seja ainda precoce esse situação, só nos restando especular um pouco e debater as vantagens e desvantagens dessa situação.
Abraços