domingo, 25 de fevereiro de 2007

“não há ainda em Portugal uma consciência ética forte que censure a corrupção”, Pinto Monteiro dixit!

Mas falta consciência ética a quem?! Aos Portugueses não será concerteza porque nós somos "especialistas" na critica e censura a outrém pois é isso que sabemos fazer de melhor!

2 comentários:

Ricardo disse...

Caro Profano,

O que Pinto Monteiro quis dizer, e que eu subscrevo, é que somos muito permissivos com a corrupção. Se alguém oferece um atalho nós, geralmente, fechamos os olhos. Mesmo a nossa mentalidade em relação ao fisco precisa duma "consciência ética forte".

Mas percebo o que queres dizer. Só pergunto é se, para além da crítica e da censura de que somos "especialistas", se levamos isso às últimas consequências e não ficamos pela "boca" social. Ou seja, se realmente temos um espírito cívico activo.

Abraço,

O Profano disse...

Boas!
Quero dizer que para nós "Tugas" é mais fácil censurar e criticar do que agir. Temos em parte, uma preguiça premente de fazer as coisas e quando vemos alguem a conseguir resultados com seu esforço,nós censuramos. Por isso é que muitas das vezes a corrupção acontece pois é sempre o "caminho mais fácil " para chegar ou obter algo que de outro modo não se tería ou seria dificil de obter.E não sei se todos conseguimos ter um papel interventivo na sociedade devida a essa "preguiça" constante e também a uma certa falta de confiança própria que os Portugueses costumam ter nas suas ideias e atitudes. Quanto á parte fiscal, temos também a atitude que temos porque temos uma fraca e má educação fiscal e acima de tudo cívica. Porque o Estado também não se preocupa em formar Cidadãos que saibam respeitar as regras de quem vive num Estado de direito onde existem direitos e deveres . Abraços!