sábado, 7 de fevereiro de 2009

PROMULAGAÇÃO DO C.T....

O nosso Presidente da República promolgou esta semana o famigerado Código do Trabalho que gerirá as relações Empregador-Trabalhador para os próximos tempos.
Parece que as manifestações dos trabalhadores, as suas queixas não foram ouvidas na totalidade.
Alteraram-se algumas das medidas mais nefastas para os trabalhadores, mas a grande maioria lá ficou.
Umas porque foram uma melhor transcrição e aplicação do que já anteriormente existia e outras porque foram efetivamente criadas.
Não vou estar aqui a referir quais foram, porque aconselho a leitura do Código do Trabalho a todos os Visitantes, mas quero apenas afirmar que apesar da crise internacional financeira, do desemprego elevado que vai assolando o nosso país e o resto do mundo, não será desta maneira que as coisas vão melhorar, o que se vai passar é efetivamente o contrário. Existirá uma precarização progressiva das relações laborais; os empregadores apesar da maior facilidade de despedir alguém, terão maiores custos de formação nos novos empregados ( porque estará a despedir gente qualificada), mesmo que essa redução seja de efetivos, o volume de produção também será afetado; as economias não melhorarão e perderão alguma da sua dinamica porque quem está desempregado não poderá "consumir"porque já terá muito pouco para sobreviver.
Enfim, um montão de problemas que já anteriormente existiam e que num futuro próximo terão tendencia a piorar...
De uma coisa tenho eu a esperança, é que se os Trabalhadores não se unirem na luta e no combate à Flexibilização e Precarização das relações de trabalho, qualquer dia mendigarão para trabalhar...

9 comentários:

António de Almeida disse...

Nos tempos que correm mais vale um trabalho precário, que trabalho nenhum. Considero a nossa legislação laboral excessivamente rígida, aliás é das mais rígidas na UE, é extraordinariamente difícil despedir um trabalhador, mas depois num esquema fraudulento, torna-se fácil despedi-los todos e abrir na porta ao lado. Os abusos não se combatem com legislação rígida, mas com Justiça célere. A Justiça é o principal problema do país, porque a partir da sua lentidão, falha todo o resto, e permitem-se os abusos, com uma Justiça rápida e eficiente, tudo seria diferente. Não tem exactamente que ver com legislação laboral, mas quer apostar como Madoff estará julgado nos EUA, antes sequer de começar o julgamento de Oliveira e Costa em Portugal? A partir daí...

JOY disse...

Boas Grande Nuno,

Concordo com o que escreves no teu posts, e estou de acordo com o Antonio Almeida, falhando a justiça resta pouco onde nos agarrar-mos.

Um abraço
Joy

A Voz do Descontentamento disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A Voz do Descontentamento disse...

A ver vamos o que decorrerá na nossa empresa á conta deste novo CT e do novo AE que vamos ter.

Saudações

Daniel Santos disse...

Eu desconfio do bicho promulgado pelo PR.

Pareceu-me ver ali demasiada flexibilidade e num só sentido.

(deixei-te um pequeno desafio lá no meu canto, só em jeito de lembrança.)

NuNo_R disse...

Boas António...
Concordo na generalidade, mas o meu Amigo faz uma afirmação que se for retirada de contexto por quem não o conhecer, a poderá desvirtuar e eu assumo que mesmo conhecendo a posição do António, a tive de ler e tentar interpretar corretamente. Sei que a fez num bom sentido, mas afirmar que "Nos tempos que correm mais vale um trabalho precário, que trabalho nenhum." pode levar a que se houver muito patrão a ler este blog a equacionar o que fazer na sua ( deles) empresa.
Senão o mote a seguir será , ou trabalhas por 500 euros ou trabalhas por nada! Ou pior ainda, não trabalhas.

O pensamento de via ser outro, tentar antes acabar com a precariedade e tentar rentabilizar as empresas é que devia ser o caminho a seguir, por forma qa que fosse possivel estimular as economias a sair da crise. Se não houver dinheiro ( fruto de melhores salários) tb nada se pode adquirir e o sistema "emperra" por não haver fluxo de dinheiro.

Quanto à justiça, a previsão é mais que certeira!

abr...prof...

NuNo_R disse...

bOAS jOY...

nem mais!

A Justiça é o pilar da Democracia e das sociedades modernas.
e nós se queremos ser respeitados como uma nação soberana e de direito, temos de fazer cumprir as leis independente dos seus intervenientes...


abr...prof...

NuNo_R disse...

Boas Voz do Descontentamento...

Também estou espetante em relação a isso.
logo veremos o que o futuro nos reserva.

abr...prof...

NuNo_R disse...

Boas Daniel...
é com gosto que aceito mais este desafio.

abr...prof...