segunda-feira, 16 de julho de 2007

APOIO GOVERNAMENTAL NAS AUTÁRQUICAS DE LISBOA...

Apesar de não ser socialista ( pelo menos deste tipo de Socialismo!), não gostei de ter assistido, apesar de legitimo, ver o primeiro-ministro a apoiar António Costa nas eleições autárquicas intercalares para a Cam. Mun. de Lisboa, quando nem se dignou a apoiar directamente a campanha do candidato do seu partido, Jacinto Serrão nas eleições para o governo regional da Madeira.

Não se faz e é de muito mau tom!

Talvez seja pela Madeira ser mais longe que Lisboa ou por não querer encontrar alguém...
Mas não se faz isso até pela importância que aquelas eleições tinham, apesar de sabermos que já tinham um vencedor garantido.
Lamento isto tudo pois apesar de não ser madeirense, sou Português!

8 comentários:

D.P.V disse...

Concordo consigo, isto de ser Lider é para o bom e para o mau.Ao que parece há filhos e enteados no partido do governo...

O Profano disse...

BoAs caro d.p.v...
Custa-me a assistir a injustiças, e então destas ainda mais...
Afinal nem os camaradas de partido e que dão a cara numa região bastante "dificil" para os socialistas, respeitam.

abr...prof...

Belzebu disse...

Começa a ser sistemática esta colagem do Engenheiro a tudo aquilo que vence e ao distanciamento dos derrotados! O homem lida mesmo muito mal com as derrotas! Uma derrota em Lisboa teria sido dramática, daí ter sido lançado um trunfo que lhe dava garantias!

Os métodos do Engenheiro são eficazes, mas democraticamente preocupantes!
Um abraço infernal!

O Profano disse...

BoAS belzebu...
ele bem gritou para todos ouvir de cima do camião que era uma grande vitória para o PS, não disse que era para Lisboa ou para os seus habitantes...

Mas acredito que qualquer dia chega a hora de ele acertar contas com o eleitorado...

abr...prof...

TPestana disse...

Foi bonito ver o "eng." aos saltos a comemorar a vitória de António Costa. Não nos enganemos mas esta vitória, apesar de pequena, é do António Costa e de mais ninguém, qualquer outro candidato podia ter sido (mais uma) desgraça para o PS. Sócrates já tinha caído no descrédito do país, agora, com aquele discurso inflamado de dedo em riste perante a plateia de Cabeceiras de Basto e do Alandroal, começa a cair no ridículo...

É pena, para quem até começou bem....

p.s. apenas de realçar os rasgasdíssimos elogios de Sócrates a Costa, algo me diz que ainda vai ter de engolir todas aquelas palavras num futuro não muito distante...

Ricardo disse...

Profano,

Há uma nota importante a colocar em relação às regionais da Madeira. Apesar dos discursos ventilados à CS serem muito dúbios parece que a própria estrutura local do PS, na altura, chegou à conclusão que a presença de Sócrates na campanha era indesejável.É compreensível porquê. Pessoalmente também não faria campanha num ambiente como o que foi o das últimas regionais em que os insultos foram mais poderosos que os argumentos. Mas compreendo a crítica ao "abandono" do PS-Madeira à sua sorte.

Abraço,

O Profano disse...

bOas caro t_pestana...
Achei um piadão ver que os "figurantes" não eram alfacinhas mas habitantes de outra região...
Nunca pensei que tal acontecesse, o que demonstra a inconstância que o PS está a viver e o medo de ser derrotado em Lisboa.
Até parece que tinham contratado os "velhotes" para fazer algum filme, pois os mesmos não sabiam ao que vinham...

Em relação ao A.Costa,
J.Sócrates viu-se livre dele momentaneamente, pois este já estava a fazer-lhe alguma sombra e A.Costa aproveitou bem esta vitória para mostrar ao eleitorado PS que existe mais um potencial candidato num futuro próximo á liderança do PS. Só o futuro o poderá demonstrar, dependendo como corram as coisas na Autarquia.

abr...prof...

O Profano disse...

Amigo Ricardo, que saudades dos teus pertinentes e qualificados comentários.

Quando fiz este post, pensei que virias comentá-lo ;) e muito bem!

Não conheço bem a realidade da Madeira e já o afirmei anteriormente num espaço teu;
e o que sei dessa campanha foi o que vi nos media e na blogosfera em geral, e não sabia dessa situação que abordas. O que talvez desculparia a não presença de J.Sócrates na Madeira. Mas mesmo assim, e sendo primeiro-ministro devia ter aparecido, ainda mais para fazer frente a A.J.Jardim e mostrar aos madeirenses que o PS (continente) estava solidário com o PS-MADEIRA.

abr...prof...