quarta-feira, 7 de novembro de 2007

FIM DA LIBERDADE...

Parece que o governo quer legitimar as escutas efectuadas pelo S.I.S., de modo que se possam prevenir atentados terroristas no nosso território.
Muito Bem. Parece-me legítimo, mas não será isto o início do fim da Liberdade que temos?!
Não serão desrespeitados outros direitos consignados na Constituição Portuguesa?!
Não existirão abusos no processo de escuta a alguém que seja suspeito?!
Se já agora existe esse problema apesar das escutas terem de ser legítimadas por um juiz e os abusos vão acontecendo, o que será depois com a sua "liberalização"?

Nem quero pensar naquilo para que caminhamos todos os dias...
E ainda alguém fala das conspirações bildeberguianas, será que têm razão no que vão afirmando?
É que todos os dias assistimos à aplicação de conceitos e políticas que muito têm de semelhante a tais teorias...

O que será do nosso futuro?!
O que nos estará reservado nele?!

28 comentários:

ruy disse...

É o aproveitamento de uma situação, a do terrorismo, para limitar liberdades.Eu não tenho duvidas quanto a isso.
abraço,ruy

NuNo_R disse...

BoAS RUY...
Assim penso...
Até parece que residimos nos EUA, com tamanha preocupação com a protecção...

abr...prof...

SILÊNCIO CULPADO disse...

Ah bom, tu achas que com isso é o fim da liberdade? Eu acho que o fim da liberdade já foi. Esta coisa de tu teres liberdade para reclamar e o poder ter liberdade para não te ligar nenhuma, é mesmo liberdade?

NINHO DE CUCO disse...

Quem não deve não teme e eu não devo. As escutas não vão ser para todos os cidadãos mas para aqueles que se desconfia poderem conduzir a uma pista. Há coisas piores nos ataques às liberdades. Todavia compreendo perfeitamente a tua posição e a tua preocupação. É que, como as coisas andam, nunca se sabe.

NÓMADA disse...

O que será o nosso futuro?
Boa pergunta.

NuNo_R disse...

Olá silêncio...

Tens alguma razão no que afirmas.

Por isso sempre afirmei tanto neste espaço como na "vida real" que vivemos numa liberdade de redoma, que somente é liberdade até certo ponto.
Mas até mesmo esta querem acabar com ela.

bjs

NuNo_R disse...

oLÁ NINHO DE CUCO...

É claro que quem nada teme, não se afligirá.
Mas o que receio é que se abuse da suspeição e que de um momento para o outro sejamos todos apanhados numa espiral sem retorno e que passemos todos a estar debaixo de um clima de suspeição generalizada.
é claro que estou a especular mas também já estivemos mais longe deste tipo de profecias...

bjs

NuNo_R disse...

OlÁ NÓMADA...

A esta pergunta díficilmente teremos resposta nos próximos anos.
Mas cabe a todos nós sabermos o que desejaremos ter como futuro.
Se assim fizermos será mais fácil enfrentar o que virá aí...

bjs

António de Almeida disse...

-Não me importo de abdicar um pouco da minha liberdade em troca de segurança, pelo que aceito que o SIS faça escutas telefónicas. Espero contudo, que tal orgão seja chefiado por magistrados, e não haja aproveitamento para outros fins, com propósitos menos claros. De qualquer forma, já existindo os meios, alguém acredita, que os serviços secretos, um pouco por todo o lado, já não o façam?

C Valente disse...

Legalizar provavelmente será a melhor solução, pois está provado que todos escutam,, que é correcto não o é , do mal ao menos
Saudações amigas

quintarantino disse...

Eu quase que já nem sei que diga... ás tantas o melhor mesmo é deixar toda a gente escutar toda a gente... assim evitavam-se equívocos. E desfaziam-se mitos. Eu, por exemplo, venho ali da sala meio intrigado... então não é que o Pacheco Pereira disse que Paulo Portas andou junto de Jorge Sampaio a dizer mal de Santana Lopes para assim acabar com a coligação e o governo?

Tiago R Cardoso disse...

faz-me lembrar o livro que eu mais aprecio "mil novecentos e oitenta e quatro".
(Big Brother para os que não conhecem.)

sniqper ® disse...

O que será do nosso futuro?!
O que nos estará reservado nele?!


Será aquilo que NÓS quisermos, simples.
Quem cala consente, quem fala sente, quem sente luta, quem luta alcança, demore o tempo que demorar e nem que a tecla do DELETE já não exista, outras virão em mãos justas.
É no campo que os jogos se ganham, nas bancadas estão os espectadores que trazem para casa o resultado, tenho como forma de alegria ou desilusão o resultado que deixaram nas mãos de quem jogou a partida.

Blondwithaphd disse...

A very difficult subject!
There will never be a consensus on this one. There will always be abuse of some kind. I particularly don't like my phone calls recorded and my moves watched. And I don't think fighting terrorism justifies these measures. But if this makes people feel more secure, so be it.

NuNo_R disse...

bOas antónio...

É difícil de acreditar que não o façam já, poderão é as mesmas não serem validadas em tribunal. Mas escutam, escutam...

Claro que este assunto é bastante sensível, por um lado encontram-se direitos e garantias do cidadão e do outro a sua proteção. E a mesma deve ser garantida pelo estado.
E se uma das formas que o estado tenha para garantir a "nossa" segurança seja através das escutas, é claro que a grande maioria preferirá a sua "proteção" em detrimento de outras coisas.

O problema se porá se existirem abusos na condução das mesmas e que se revelem conversas privadas que nada tenha a haver com segurança ou que se aproveite para se fazer espionagem industrial, como acontece agora com uma acusação que existe nos EUA devido a utilização abusiva do seu sistema de satélites de espionagem.
Mas quem deve tutelar as escutas devem magistrados com as competências adequadas e com a formação necessária para este tipo de situação.

abr...prof...

NuNo_R disse...

BoAS C_...

Bem do mal o menos, não é?!
Já as fazem de qualquer forma e assim passaria a ser tudo ás claras e de forma legal.
Mas também já estão a fazer para que isso aconteça...

abr...prof...

NuNo_R disse...

BoAS quintarantino...

Haveria de ser giro depois em caso de escutas, que viessem a publico conversas privadas onde existam intrigas, sejam elas de que tipo forem...
E depois como seria :)
Os intervenientes então... não faltaria eheh

abr...prof...

NuNo_R disse...

Boas tiago...

O George Orwell escreveu o "1984" em momento de clarividência" eheh
Mas o livro para a época em caua era demasiado futurista, mas veio a revelar-se bastante premonitório do que se passa nos dias de hoje.
É como eu digo, o que virá a seguir...


abr...prof...

NuNo_R disse...

BoAS sniqper,
gostei da tua metáfora.
é claro que as coisAS só acontecerão se nós o povo o deixarmos, mas o povo tem por hábito ter a memória curta e cabe a nós, que temos um papel de informação, ( pelo menos é uma das mais valia da blogosfera é a informação), informar e espevitar as coisas para que não caiam em esquecimento e se possível fazer o possível para que se resolvam...


abr...prof...

NuNo_R disse...

Hi "blondie"...

In the response to the coment os António, Hi said that.
The protection and safety of the peopple is very important, but somehow i have still have my doubts about it.
Like you, i dislike the fact that i´m spied by anyone. I´m not a terrorist and even i were one of them, the justice in Portugal can watch my movements instead to spy everyone.
But that´s more easy to them. They always select the easiest away...
And if the easiest way is spy everyone, so be it...

kIssES

Ka disse...

Eu ando à meses a dizer que esta criatura que nos (des)governa tem tiques de ditadorzeco ( e de má qualidade ainda por cima!!!) mas dá-me a sensação que no geral as pessoas andam meias adormecidas e achos que por termos saído de uma ditadura à meia dúzia de anos, o mesmo não voltará a acontecer... mas isto sou só eu a pensar, está claro :)

Beijinho e um excelente dia

NuNo_R disse...

oLÁ KA...

Quero acreditar que a ditadura não voltará a Portugal, mas isso é somente o meu desejo.
Mas o que se afigura por aí, já é diferente.
Mas também isto que se passa somente é o resultado de "alguém" ter uma maioria absoluta.
Quem mandou o povo a entregar de bandeja?!
Então o pessoal já não sabia que com maiorias absolutas, quem estiver no poder, não liga a mais ninguém.
Por isso é que é sempre preferível existir governos de coligação, em que em ambas as partes tem de haver cedências para que se chegue a consensos...

bjs

Blondwithaphd disse...

Dear Nuno,
Feel free to use Portuguese with me, I understand perfectly! And thanks for speaking in English with me:)

O Raio disse...

Houve um americano, creio que do século XIX que disse:

"Povo que troca a liberdade pela segurança não merece nem uma nem outra".

É isto que está a acontecer, a paranóia contra o terrorismo leva-me a pensar que se este não existisse teria de ser inventado (se calhar até foi).

É que o problema não são só as escutas, é muito mais.

Agora, ao abrigo do Mandado de Busca e Captura Europeu, um argelino, dono de uma barbearia no Porto que estava legalmente em Portugal e contra o qual o Estado português não tinha nenhuma queixa, é preso no Porto á ordem das autoridades italianas e extraditado para Itália!

NuNo_R disse...

Hi "BLONDIE"...

I apreciate the fact that you doesn´t mind if in future i speak in "tuga" language :)
For me it´s easy of course speak in our language, but i´m able to speak in english and in another foreign languages, and it´s funny spaek in english in a "tuga" blog eheh

bjs

NuNo_R disse...

bOAS RAIO...

Uma das consequências da adesão à UE é essa mesma, se tens algum problema criminal num dos paises membros, não terás sossego em mais nenhum...

O que de certa forma é errado.
Será legítimo um país em que um cidadão leve uma vida honesta e honrada e que esteja perfeictamente integrado na sociedade, só porque cometeu um crime noutro país, poderá se extraditado?
Não acho muito justo.
Faz-me lembrar o sistema judiciário americano e o sistema judiciário brasileiro.
Mas o fundamento "segurança" assusta muita gente.
E legisliza-se com base nesse "medo".
E estou como tú, se o terrorismo não existisse, seria inventado ou fomentado para que existisse ste culto do medo em que vivemos...

E a frase que citaste é bem real e foi proferida num contexto que ainda hoje é actual.

abr...prof...

O Raio disse...

"Será legítimo um país em que um cidadão leve uma vida honesta e honrada e que esteja perfeictamente integrado na sociedade, só porque cometeu um crime noutro país, poderá se extraditado?"

O problema não é só este, o problema é muito mais grave.

O cidadão pode não ter cometido erro nenhum!

Exemplo:

Vais de automóvel até Madrid e tens um vizinho que sabe isso e te pede uma boleia pois também vai para Madrid.

O.K., entre vizinhos está tudo bem.

Mas, sem tu saberes, o teu vizinho é traficante de droga e, depois de o deixares em Madrid ele continua a viagem pela Europa até à Polónia onde vai entregar a droga.

Na Polónia é preso e, interrogado, diz que lhe destes uma boleia até Madrid.

Naturalmente as autoridades polacas emitem um Mandado Europeu de Busca e Captura e as autoridades portuguesas a única coisa que podem fazer é entregar-te á Polónia.

Assim, encontras-te na Polónia, acusado de tráfego de droga num tribunal cuja língua desconheces e com um advogado que provavelmente também não sabe pitada de português.

Entretanto perdestes o emprego em Portugal e estás sem dinheiro para te defenderes.

No fim o teu vizinho, perigoso traficante mas com dinheiro para arranjar um bom advogado é absolvido e tu és condenado...

NuNo_R disse...

BoaS raio...

Compreendo essa perspectiva, o que causará certas desconfianças no futuro.

A acontecerem casos como o que exemplificas, a justiça será injusta para quem nada fez e se vê envolvido em situações menos claras.
O problema é que mesmo que isso aconteça involuntáriamente e se consiga pedir algum tipo de indeminização, a mesma não será a mais justa nem apagará eventuais "traumas" ocorridos de detenções ilegitimas...

Mas como afirmas e bem, no fundo só o poder do dinheiro resolverá ( talvez) estas situações... o que é injusto e horrivel.


abr...prof...