domingo, 11 de março de 2007

MARTIM MONIZ, OU A SOCIEDADE DAS NAÇÕES...

No Parque das Nações... pel'O PROFANO
Encontrei uma semelhança entre a Praça do Martim Moniz e a Cidade de Bruxelas. Em ambos os lugares encontramos mais estrangeiros do que locals (nativos). No Martim Moniz é ver indianos, bengalis, orientais e africanos. Um rol de imigrantes de países onde Portugal teve a sua expressão e representação, a viverem conjuntamente e em comunidades. Em Bruxelas, encontramos também mais “europeus” que belgas, devido á concentração de Organizações Europeias nessa cidade. Só me resta pensar e ter a esperança que qualquer dia façam um intercâmbio desses que andam na moda e que importemos nós os ditos “europeus” e que enviássemos para lá os imigrantes que pelo Martim Moniz abundam...

2 comentários:

São Cível disse...

Os seres humanos não são mercadoria de import / export.
É quando consideramos os outros como meros objectos que damos aos tiranos que eventualmente estejam no Poder, alvará para expulsão, tortura ou extermínio de povos. Assim tem sido, mas espero que isso não se repita.
Tudo farei para o impedir.

Sou lisboeta 100% e, curiosamente, sinto mais o Martim Moniz como a minha casa do que Telheiras ou a Quinta do Lambert.
O intercâmbio de valores e culturas é que contribui para a paz, a pouca que há, no mundo.
Lisboa é uma cidade cosmopolita, feita de diferenças e contrastes. O mundo evoluiu com "Lisboas" e não com provincianismos e os seus valores mesquinhos.

O Profano disse...

Penso ter sido mal interpretado, pois nunca foi minha intenção postar um comentário nacionalista nem xenófobo, longe de mim. O que quis foi fazer uma sátira envolvendo locais tão diferentes, que são Bruxelas e o Martim Moniz, em que apesar das diferenças, têm pontos em comum, sendo um deles os seus Habitantes. E para mais, nunca o meu post podia ser nacionalista, visto estar a aceitar tambem de bom grado o intercâmbio (cultural) dos "estrangeiros" que vivem em Bruxelas para o nosso País.
Abraços Profanos!