quarta-feira, 7 de março de 2007

ISTO É GRAVE!!! (No seguimento do post "AVALIAÇÕES NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA" de 03-Março-07)

Agora é que vamos assistir a despedimentos descontrolados e sem cabimento. É FAVOR LEREM ISTO: http://dn.sapo.pt/2007/03/07/economia/dois_anos_nota_negativa_implicam_des.html (do Diário de Notícias online de 07-03-07). Porque como todos sabemos, no nosso País a interpretação das Leis nem sempre tem por base o seu fundamento, o que leva a que cada um faça o que entender, mediante a opinião ou parecer que tiver e que lhe seja mais favorável. Então nesta situação, Trabalhadores que não interessem estar nos quadros ou que sequer estejam num determinado serviço por embirrice de alguém de função dita superior, ou Trabalhadores que tenham tido problemas com os seus Avaliadores, ou que não interesse a renovação do seu vínculo laboral (muita das vezes para não existir uma passagem obrigatória para os quadros), ser-lhes-ão atribuidas Avaliações ou Pontuações pequenas ou negativas, de modo a possibilitar o seu Despedimento, com a desculpa de que são inadaptados para o serviço em questão e é uma forma de tentar legalizar o Despedimento. Porque quando tudo corre bém no local de trabalho, nunca existém problemas. Agora quando eles já existém, aí é mais fácil que se tente pressionar os trabalhadores a despedir-se ou criando situações e condições que levem ao Despedimento. E É DISTO QUE TRATA ESTA POSTAGEM, DESPEDIMENTOS GRATUITOS !!!

4 comentários:

missixty disse...

Claro que pode bem acontecer isso que disseste! Mas também existem os tribunais!Se me fizessem isso a mim, não ía assim ás boas!! Muita água ía correr!!O problema é que muita gente acha que devemos ir todos para a rua.....
beijos

O Profano disse...

OlÁ miss...
Eu também preferia ter um olhar ingénuo sobre esta matéria ( e não te estou a chamar ingenua, longe de mim). Mas tenho receio que com a tentativa de resolução dos problemas (causados pelo Despedimento) nos Tribunais, não passem disso mesmo, tentativas.
Como os Tribunais são geridos por Seres Humanos e não Robos, corremos o risco de uma má interpretação das Leis ou á corrupção das mesmas, o que seria bastante grave para o Trabalhador.
Para além do facto que um Trabalhador que seja despedido sem justa causa, neste momento a Lei já preve uma não inclusão do mesmo no seu posto de trabalho anterior ao despedimento ilícito, levando o mesmo a indeminização respectiva. Mas isso não é o mesmo que ter um Trabalho ou Emprego. E nos dias que correm é muito dificil arranjar trabalho.
BJS

Ricardo disse...

Viva,

Estou, novamente, em desacordo. Compreendo a tua preocupação mas não me parece que estejamos perante uma liberalização do despedimento até porque, nem no Estado nem na esfera privada, é possível despedir sem justificação ou direitos.

Não podemos criar tabus com a palavra "despedimento". Se há, e há, inúmeros exemplos de funcionários que não exercem as suas funções mínimas, então há que ter flexibilidade, dentro dum quadro disciplinar rigoroso. O que entendi é que a negociação prevê, para além da reflexão do desempenho, processos disciplinares que visam reflectir sobre o desempenho básico das funções.

É injusto? Talvez! Mas mais injusto é manter tudo como está e como está não defende o emprego nem sequer a entrada de pessoas no mercado de trabalho nem ajuda a criar investimento que gere mais postos de trabalho.

Abraço,

O Profano disse...

bOas RICARDO!

Eu não sou contra medidas que sejam evolutivas ou que sirvam para quebrar a estagnação legislativa que temos. O meu problema é que alguém faça mau uso dos meios que tem á sua disposição e comece a por o lado pessoal á frente do lado laboral. Aí sim, existiram abusos na forma em que as regras definidas se iriam extrapolar.
Sei e é de senso comum também que um trabalhador deve ser premiado pelo bom desempenho que tenha no seu serviço e que os que menos conseguiram desempenhar as suas tarefas deverão ser questionados do porquê
e de tais resultados, e se a situação se mantiver, criar soluções dentro da Empresa para melhorar o desempenho de tais colaboradores, seja por meio de Reciclagens ou de novas formações para depois o trabalhador ficar apto para corresponder ao que lhe é pedido. Assumo também que quem abusa e age de forma leviana no seu emprego deve ser alvo de processo disciplinar, para que seja estudado do porquê de tal atitude. Penso é que o despedimento deveria ser a solução final, e enquanto se pudesse manter o trabalhador nos quadros da empresa assim o deveria ser. Mas o trabalhador também deve ser responsável pelas suas atitudes e saber honrar o salário que recebe...
ABRAÇOS