quarta-feira, 7 de março de 2007

CHEGOU POR MAIL...

Não tendo o hábito publicar o que recebo por mail; Abri desta vez esta excepção por abordar um tema que está em voga na actualidade. Aqui vai o comentário: “Bagão Félix neste momento considera-se mais socialista que os socialistas que integram o governo PS!”. Não sei se é verdade e não vou querer confirmar, porque não é disso que se trata. Mas a ser verdade... Concordo com esse comentário visto estarmos a ser alvo de políticas de “direita” aplicadas por um governo que se afirma como de “esquerda”. Pois o Sr. Bagão Félix já tinha feito alterações ao nível do Código do Trabalho, que permitiram uma flexibilização do conceito “Trabalho”. Tendo na altura os Sindicatos também considerado que as mesmas eram negativas e prejudiciais para os Trabalhadores. E veio agora o Ministro Vieira da Silva tentar flexibilizar essas mesmas normas do “Trabalho”, tendo criado mais uma comissão ( parece que isto das comissões é moda neste governo e que veio para ficar...) para estudar as medidas que possam criar as condições á introdução do conceito de Flexigurança e de outras políticas neoliberais ao nível do “Trabalho”, permitindo uma precariedade maior no Emprego em Portugal. Será que é só flexibilizar (esticar), flexibilizar (esticar) e flexibilizar (esticar) a “corda” até esta partir?! Será esse o rumo a seguir?! Continuando a penalizar os Trabalhadores com medidas “inúteis” que mais uma vez só trarão proveito a uns (Patronato) em detrimento dos outros ( Zé Povinho)?! Meus Senhores, Haja Bom Senso!!!

2 comentários:

ruteebeatriz disse...

dúvido muito que a corda parta de tanto esticar.
Os portugueses, falam , protestam, mas n sei qeu raio acontece que pouca coisa muda. Acho bem que se manisfestem, que reclamem, mas serão os donos do poder moucos.
Raios parta a vida que se leva em portugal

Bjs
rute

O Profano disse...

O PROBLEMA É QUE A MALTA É DEMASIADO PACÍFICA.MANISFESTAMOS, PROTESTAMOS E NO FIM NADA ACONTECE PORQUE DEPOIS DE GRITAR E APUPARMOS O GOVERNO; SEGUIMOS SEMPRE O NOSSO CAMINHO SEM NADA DEPOIS ACONTECER...
PRECISAMOS DE OUTRA "REVOLUÇÃO"...