quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

O FAMOSO “CHORADINHO” PORTUGUÊS...

O “Vá Lá”, “É só um bocadinho”, “é por pouco tempo”; “Vou só ali”, ”Não estrova”.
Estas são algumas das frases que mais me irritam escutar e demonstram a “esperteza saloia” que tanto caracteriza os portugueses.

Será que “este” povo não consegue progredir como povo civilizado e cívico como deveria ser?
Que não consegue respeitar as regras de viver em Sociedade?
Será que não consegue acompanhar outros povos na sua Civilidade e Civismo?
Será que continuaremos na cauda” da Europa no que toca a assuntos sociais, pois já nem abordo os económicos, porque esses não dependem somente da atitude pessoal...?

Ultimamente tenho me questionado sobre este assunto, sobre o qual também já me referi aqui.

É que somente quando aprendermos a viver e a respeitar as regras e as leis vigentes, é que poderemos disfrutar em pleno a Liberdade que ainda vamos tendo e evoluiremos como pessoas!

E digo que é a Liberdade que ainda vamos tendo, pois desta forma ao agirmos de modo incivilizado, seremos os primeiros a contribuir para o seu fim!

13 comentários:

SILÊNCIO CULPADO disse...

É verdade, amigo Profano. Há todo um caminho a percorrer até aprendermos a parar com o famoso choradinho que mais não é que uma manifestação de menoridade mental.
Há uma revolução cultural que tem que ser feita e que já tarda!

NuNo_R disse...

Olá silêncio...

Tens toda a razão no que dizes.
Já era altura deste pessoal levar um "abanão educativo"...
Bjs

PS: Continua a "trabalhar" como o fazes, pode ser que também com a tua ajuda esta "gente" acorde...

quintarantino disse...

Essa agora... caríssimo professor, tenho cá para mim que isso é pedir demais... esta malta é um caso perdido!

António de Almeida disse...

-mais uma vez, tudo depende da razoabilidade, ou da falta dela, que obriga por vezes a medidas drasticas, por exemplo, quando paro um carro em segunda fila, faco-o para colocar uma carta num marco de correio, demoro 30 seg. nunca digo que e um minuto, para tomar cafe, por vezes ate esquecendo-se. E esre e apenas um exemplo.

Sniqper ® disse...

Na cauda da Europa anda ela mesmo, a toque dos que decidem sobre o ouro negro, no resto amigo a esperteza saloia é o pão nosso de cada dia, simplesmente porque vivemos numa sociedade em que nos injectaram a Lei do salve-se quem puder!, remédio que não cura, adia.
Vamos começar mais um ano, já a levar na tromba, até quando, pergunto eu!?

Blondewithaphd disse...

My dear friend, I'm afraid the answers to your questions are mostly "NO".

JOY disse...

È verdade amigo Nuno o caminho que muita desta malta tem que fazer até a civilidade é longo e dificil mas restanos ter a esperança que lá chegarão.

um abraço
Joy

Alma Nova disse...

Civismo, meu amigo, é coisa de que só mesmo o nome a maioria se lembra. Vivê-lo e aplicá-lo no seu dia a dia exige muito...Respeito!!!
Nesta selva em que vivemos ele vai sendo algo em vias de estinção.

C Valente disse...

Tem toda a razão. é por essas e por outras que os governantes (em alguns casos com razão) ´só á base da mlta do castigo as pessoas se corrigem.
Bom ano 2008, e que tudo corra á medida do seu desejo
Saudações amigas

FERNANDA & POEMAS disse...

Querido Nuno, é tão bom ler os teus textos.
Obrigada,
Muitos beijinhos,
Fernandinha

NuNo_R disse...

A Todos os Comentadores...

Só hoje me foi possivel responder aos Vossos comentários.

Esta questão do Civismo e da Civilidade das pessoas é cara a todos nós, pois estamos sempre sujeitos aos desmandos e atitudes de outrém. E quando quem está o outro lado não se preocupa com o "outro", nunca irá existir civismo por parte de ninguém.

Todos os comentários são válidos nesta questão, pois todos sofremos na pele diariamente esta questão.
E somente quando conseguirmos "abrir" os olhos a quem não respeita o seu próximo e perceba que o prejudica com o seu comportamento insensato e libertino, é que poderemos evoluir como pessoas.
Porque somente viver estas experiências não é suficiente. Há que "espevitar" as pessoas a alterar o seu modo de estar e viver através do desagrado aos seus comportamentos nada recomendáveis e mostrar-lhes que somente respeitando os outros eles também serão respeitados, e se calhar somente dessa forma é que "acordarão"...

Não defendo um estado repressivo, e vocês sabem-no bem, mas no que toca a questões onde a falta de respeito e consideração pelo "próximo" existem, penso que o Estado devia ter um papel relevante e educador nestas matérias, pois a maioria das vezes o papel das policias é menor nestas questões e quase não têm poderes para intervir; quando deviam ser elas também fiscalizadoras desses comportamentos.

e por agora que o comentário já vai longo, me fico por aqui...


Bjs abr...prof...

sniqper ® disse...

Admiro a tua persistência amigo, mas olha com atenção o que te rodeia...
Não esperes muito, ou melhor nada. Vivemos e vamos continuara a viver cada um no seu buraquinho, a contar os euritos, a dar umas voltinhas nos fóruns, a molhar os miolos quentes no mar salgado nos dias de verão, a chamar FDP ao gajo de negor que anda com o apito no campo e mais algumas coisitas, o resto amigo são sonhos, esses que nunca comandaram a vida.
No fundo estamos só estamos a recolher o que merecemos, mais nada, essa é a verdade.

LopesCa disse...

É verdade, impera a falta de civismo de educação :(