segunda-feira, 8 de outubro de 2007

INAUGURAÇÕES...

Estamos no início da segunda metade do mandato do governo actual e já começou a época das inaugurações que com toda a certeza se irá prolongar até 2009.

É já quinta-feira que será inaugurado o troço final do Eixo Norte-Sul em Lisboa, fazendo a ligação do Lumiar à C.R.I.L., o que facilitará o escoamento do tráfego numa das artérias viárias de Lisboa onde mais trânsito e tráfego automóvel existe.
A conclusão desta rodovia possibilita também a "união" entre as duas pontes de Lisboa, a 25 de Abril e a Vasco da Gama , que têm agora um eixo viário que facilitará a vida a quem vem da margem sul e necessita de seguir para Norte ou para a outra ponte sem entrar em Lisboa, passando á margem do habitual trânsito que hoje em dia tem de enfrentar para fazer estas ligações.

A segunda inauguração será em 22 de Dezembro e é a conclusão da rede de metropolitano na Linha Azul, com o prolongamento da rede desde a estação Baixa-Chiado até Santa Apolónia, passando pelo Terreiro do Paço.
Obras estas que mais pareceiam ser as de "Santa Engrácia", tal o tempo que demoraram a ser feitas.
É caso para dizer:"Até que enfim!!!"

Como costumo dizer, esta é a época do "engana-me que eu gosto"...

20 comentários:

António de Almeida disse...

-São obras que face aos atrasos já existentes, para além de derrapagens orçamentais, protelar a sua inauguração seria algo de verdadeiramente escandaloso. O Metro no Terreiro de Paço então é quase uma obra histórica, com anos e anos de atraso, mal projectada, pior executada.

O Profano disse...

BoaS...

O escandaloso é o facto de ter custado o dobro do que está orçamentado,e que saiu dos bolsos dos contribuintes.
Pois até a penalização ao empreiteiro foi perdoada...
Mas disso ninguém fala, porque não interessa que se saiba.

abr...prof...

C Valente disse...

Vai ser dois anos de corta fitas, esperamos que o povo não tenha memoria curta
saudações amigas

O Profano disse...

Eu também espero que não...

E que nas próximas eleições pense com a cabeça e não com o coração...

abr...prof...

R. da Cunha disse...

Parece haver no post uma segunda intenção que não perfilho: são obras que vêm de há muito e que agora acabam (a linha do metro foi o que se sabe!). Diferente situação, que por vezes se verifica, a do lançamento da primeira pedra, depois a da fachada já concluída, o tecto, as ligações electicas, etc., até à inaugarção final, tipo Albero João.

R. da Cunha disse...

Esdueci-me: o seu Sporting ganhou por margem folgada. Parabéns.

O Profano disse...

BoAS R.DA CUNHA...

Agradeço a lembrança futebolística :)

Quanto ao post, a minha critica implícita é o facto de se começar por esta altura a época das inaugurações até ás eleições legislativas e a critica á aberração derrapante que foi as obras do túnel do metro.

Quanto ao troço do eixo Norte-Sul, é já o mesmo alvo de criticas por várias entidades ( ao nivél da segurança e do traçado) ainda antes do mesmo estar aberto á circulação pública.


abr...prof...

R. da Cunha disse...

Continuo a não concordar consigo totalmente. Quando é que o troço do metro entre o Terreiro do Paço e Santa Apolónia devia ser inaugurado? Depois das eleições? É sabido que as grandes obras raramente são inauguradas por quem as lança. É até habitual serem governos de côr diferente, como sabe.
O eixo Norte-Sul, cujos problemas conheço é diferente. Quem lançou o projecto? É (era) possível emendar os erros? Se sim, concordo consigo, mas de engenharias nada percebo.

O Profano disse...

Caro r.da cunha...

Apesar das inaugurações nada tenham a haver entre elas, só cito o facto de estarmos a iniciar a segunda metade do mandato do actual governo e que nesta altura prosperam as inaugurações...

Quanto ao troço do eixo norte-sul, os tais erros deviam era ter sido logo vistos para poderem ser logo revistos, e não como sempre, depois de tudo concluido é que se fazm as alterações...

O caso do metro é diferente, pensavam que o tipo de solo era uma cosa e saiu-lhes outra diferente. Não estudaram o suficiente a geografia subterrânea e os solos daquele local e quando se aperceberam do que podia acontecer, foi tarde demais e tiveram que encher novamente o tunel com água para sustentar aquela zona, sob o risco de colapso do túnel.
Depois criaram ( ao fim de bastante tempo) a estrutura interna, que corresponde então ao actual troço do metropolitano. Mas tudo isto a expensas públicas e de todos os contribuintes, pois o empreiteiro foi "liberto" de culpas e foi-lhe "perdoada"a multa por imcomprimento de duração de obra.
Mais uma vez o erário público perdeu aqui.
E então dos 167 milhões iniciais passaram aos actuais cerca de 22o milhões, Preço bastante caro para a construção de apenas 2 e friso 2 estações e seus troços de ligação.

Mas uma coisa é certa, quando o ML começar a dar lucro, será imediatamente privatizado.
Mas para isso teremos de esperar por 2010...
E com isto me fico no coment, em que já me alonguei demasiado, e se o fiz foi cordialmente para com o meu amigo r.da cunha
( pois os conhecimetos que tenho acerca do caso ML, me impede o sigilo profissional e zelo para com o meu empregador)


abr...prof...

sniqper © disse...

Pois...
O facto é que eles continuam, sem parar e nós o que fazemos...!?
Aplaudimos? Criticamos? Ou simplesmente ignoramos...

Tiago R Cardoso disse...

Aguarda-se um frenesim de inaugurações, vai se trabalhar dia e noite com os respectivos custos para arrumar a casa até 2009.
Entretanto até lá espera-se o anuncio das megalómanas obras de regime que se discute à algum tempo.

Odysseus disse...

Aquilo q tanto criticaram, serão eles próprios a fazerem, sem dó nem piedade. Vais ver aquelas inaugurações na campanha em 2009 ;)

Cumprimentos do Ody!

Goncalo disse...

Não sei se serão obras com intuito eleitoralista. Pensando no caso das obras das estações de Metro, se calhar estava inicialmente prevista a inauguração para arrecadar votos, mas há 4 ou 5 anos atrás. Ao atraso, somam-se inevitavelmente aumento de custos, pagos pelo dinheiro que todos pagamos de impostos.

Parece-me que, no caso do metro, as preocupações devem ser outras: não sou especialista, mas sempre me pareceu um pouco arriscado construir estações de metro naqueles locais, não só pelo tipo de terreno, mas também porque é mais um passo para danificar o sistema de estacas na zona da Baixa (particularmente na estação do Terreiro do Paço) que vem do tempo do Marquês de Pombal.

O Profano disse...

BoAS...

Comentário conjunto para:

Sniqper; Tiago; Odysseus e Gonçalo.

O facto de tanto dinheiro do erário público ser gasto desta forma selvagem e sem controle mais cedo que tarde irá causar graves transtosnos á nosso economia interna. Pois a febre dos fundois comunitários já foi "chão que deu uvas" e os poucos subsídios que vierem serão para ser gastos em situações extremas ou em obras que sejam necessárias e não como hoje em dia ( cada vez menos é verdade!) em que qualquer coisa ou região tem o que quer basta pedir...

Quanto ao facto de somente criticarmos, também somente o pudemos fazer. Não nos pudemos é esquecer que temos uma arma bem forte que é o Voto. Mas, també na linha do horizinte, não vejo nada nem ninguém na política actual capaz de inverter a situação despesista e sem controlo em que vivemos. Pois todos "comem da mesma malga" apesar das diferenças partidárias....
E é por isso mesmo que não me revejo nos actuais politicos portugueses nem na nossa política.
Porque o que realmente dá vontade é que alguém os "abane" para a vida e que os acordem, mas como não lhes pudemos "bater" ao menos fazemos barulho...

Quanto ás caractterísticas do solo na Baixa Pombalina,
Aquela é uma zona bastante sensível á erosão marítima, pois as estacas que sustentam aquela zona têm de estar obrigatoriamente submersas para que não exista o risco de colapso da zona superior e circundante.
Mas ao que me parece, os estudos não foram tão exausticos como deveriam ter sido, e depois os técnicos, já em época de construção depararam-se com problemas que tinham de ter uma resolução imediata. E asolução mais "barata" foi o enchimento do túnel já construido com água para não colapsar aquela área toda.
Depois foi o burburinho que todos assistimos via Medias...
Entretanto o jogo do empurra acabou e começaram novamente as obras com a solução actual, mais dispendiosa mas bastante segura.
Reforçou-se o túnel já construido e prosseguiram as obras.
Mas realmente seria necessário quase 10 anos para a resolução desta obra?!
É claro que não mas isso são outras estórias...

abr...prof...

JOY disse...

Nada de novo ,tem sido assim á cerca de 25 anos seja com que governo for quando cheira a eleições lá começam as festas de corta fitas .


JOY

O Profano disse...

e o povo para assistir...


abr...prof...

João Rato disse...

Passaram o tempo todo a fechar centenas de serviços e nunca aparecerem para assinalar os actos, agora fazem meia dúzia de aberturas e é vê-los exibindo comitivas e auto-elogios à sua acção! São todos uma cambada de albertos jardins!

O Profano disse...

Tens razão!

Tanto que criticam o Albero João pela campanha que faz, mas acabam por imitá-lo.

É mesmo "faz o que digo e não o que faço!...


abr...prof...

Quintanilha disse...

A inauguração é um acto perfeitamente normal, quando se acaba uma "grande" obra e a mesma é posta ao serviço de todos. Sempre assim foi e sempre assim o será. Agora inaugurações rídiculas como o fizeram Durão Barrroso e Santana Lopes, em muitos casos de obras inacabadas e outras de pequena dimensão, isso é que não concordo.

NuNo_R disse...

bOas quintanilha...

É claro que é normal as inaugurações.
O que é criticável é a se de de inaugurações que existe e as épocas em que elas acontecem...
Parece que são "escolhidas" a dedo.


abr...prof...