sábado, 20 de outubro de 2007

A EUROPA QUE NÃO QUERO...

Inspirado pelo do Quintarantino Blog Notas Soltas & Ideias Tontas deixo-vos a Europa que não quero:
ºUma Europa que me retire direitos e garantias conquistadas pelos meus conterrâneos;
ºQue me limite posteriormente a liberdade de movimentos e de expressão;
ºQue me condicione na obtenção de cultura e educação;
ºQue crie leis desadequadas quanto à sua aplicação na generalidade dos países integrantes da "futura" federação europeia;
ºQue me obrigue a falar uma lingua que não a minha de origem;
ºQue me obrigue a viver debaixo de uma bandeira que não a portuguesa;
ºQue impeça o meu país de ser um estado soberano e democrático, em que o povo tem uma "palavra" a dizer e a ser escrutinada;
ºE finalmente,uma Europa que limpa da história o que é e o que foi a Nação Portuguesa.

Se isto se concretizar, deixo a Portugal e a Europa e rumo a outro continente...

21 comentários:

António de Almeida disse...

-Embora de acordo com a maior parte do texto, não com a totalidade, há coisas como por exemplo a bandeira que poderá ser esta ou outra, entendamo-nos, a república nunca foi até hoje legitimada democraticamente, tendo sido proclamada na varanda dos paços do concelho, após um golpe levado a cabo com o apoio de alguns canalhas muito pouco recomendáveis como o execrável Afonso Costa, aliados a assassinos terroristas, os carbonários. Por lá andou também muita gente de bem, como José Relvas ou Manuel de Arriaga, entre outros, aliás gente de bem e de mal existia dos dois lados da barricada, já se sabe que em altura de luta pelas convicções, por vezes recorre-se a aliados de circunstância. Mas voltando ao princípio, se não entendo serem a bandeira ou o hino imutáveis, cabe-nos a nós, entre nós, decidirmos essas matérias, e é isso que não quero, ver burocratas em Bruxelas a ditarem os simbolos da nossa identidade, nós até podemos abdicar da nossa soberania, é nossa, cabe-nos a nós enquanto povo decidir o nosso destino, mas ai de quem nos quiser tirar tal decisão!...

NuNo_R disse...

bOAS ANTÓNIO...

Qunado me refiro a bandeira e hino, refirmo-me simbolicamente à Nossa Identidade como país independente e soberano.
Pouco me interessa qual o hino que cante ou a cor da bandeira que me "defende" e protege, desde que seja a "Nossa", a dos Portugueses.
Mas percebi o sentido do comentário.

abr...prof...bfds

Alma Nova disse...

E quem quer uma Europa assim, é caso para perguntar? Será que estamos todos loucos?!!!

Foxy disse...

Passei neste blog profanador, profanando sua quietude para deixar um beijo profano ao seu dono...


Bah manhã dá em mensagens destas

Tiago R Cardoso disse...

Eu antes de pronunciar aguado que se faça um referendo para respectiva discussão e esclarecimento de que tipo de "bicho" se trata.

NuNo_R disse...

Olá alma...

Ñão sei quem quer uma Europa assim ,mas alguém a devev querer. Pois é essa Europa que estão a tentar concretizar...


abr...prof...

NuNo_R disse...

Olá foxy...

Que saudades...

Obrigado pela visita.

bjs

NuNo_R disse...

Boas tiago...

Vamos lá a ver se o nosso presidente o faz, porque ele já afirmou que o referendo depende só dele.

E eu a pensar que tambem dependia do povo...


abr...prof...

Mentiroso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mentiroso disse...

São todas boas razões e até há um país que não quer aderir precisamente por elas, por falta de democracia. A jornaleirada esconde-o e poucos o conhecem, mas é assim. A UE está a afastar-se dos princípios com que foi fundada, talvez por várias décadas terem passado desde então.

Se a liberdade fosse realmente um dos objectivos da actual UE, de certo que irlandeses e bascos não seriam colonizados por outros no seu próprio seio, contra os princípios da Carta das Nações Unidas e dos Direitos Humanos.

No entanto há uma coisa que parece ter sido esquecida. É que no estado em que Portugal se encontra, por demais com claras tendências a piorar em tudo, à excepção do bedelho metido por outro país, como a Espanha, é indubitavelmente melhor. Não temos assistido a diversas intervenções a favor da população, contra as bestialidades políticas, como o caso recente dum imposto sobre outro imposto? Infelizmente, estaríamos muito pior sem a UE. É uma vergonha, por se tratar precisamente por completa ausência de democracia. A democracia em Portugal não existe desde 1910 e aquilo a que hoje os impostores chamam democracia em Portugal não é mais do que uma oligarquia por definição, menos que uma democracia tablóide.

A. João Soares disse...

Caro Nuno R,
Espero que tais achaques não virão a atacar a UE, mas se isso acontecer, o amigo não irá sozinho, e Portugal ficará ainda mais pobre, pois, como disse Eça de Queirós e muitos outros mai recentemente, os que emigram são os mais válidos, menos conformados, menos resignados e com mais capacidade.
Abraço

quintarantino disse...

Caro Prof. eu não merecia ser fonte de inspiração.
No resto, eu estou pela Europa mas não pela dos burocratas.

bjecas disse...

Pá, porreiro pá!

\m/

NuNo_R disse...

Boas mentiroso...

Concordo com a essencial do seu comentário, tanto no que toca a liberdade e a U.E.
No fundo precisamos de ambas...

abr...prof...

NuNo_R disse...

bOas a.joão...

Agradeço as palavras simpáticas que deixou no seu blog.
E tem razão no que diz quanto á emigração das "mentes mais evoluidas"...
Eu tento todos os dias lutar contra o "chamamento estrangeiro"...

abr...prof...

NuNo_R disse...

Boas quintarantino...

Eu tb sou a favor da Europa, mas não quero uma igual á que expus...


abr...prof...

NuNo_R disse...

Boas bjecas...
Agradeço a tua visita.

abr...prof...

O Raio disse...

Tens toda a razão. E ainda faltaram uma data de coisas.

Nos comentários há uma frase do mentiroso que reza: "Infelizmente, estaríamos muito pior sem a UE".

É exactamente o contrário, estariamos muito melhor sem a UE!

É que ainda há outro problema com a UE em que nos meteram, como a situação do país está má e como a UE é intocável, há uma imensa campanha para nos covencer de que a culpa é nossa, só nossa.

Quando me vêm com estas histórias, lembro sempre de que há muitos anos que a margem do governo de Portugal é minima e, depois de se entrar para o Euro é praticamente nula. Só fazemos o que Bruxelas autoriza.

Um dos exemplos dados a propósito da bondade da UE é a proibição da dupla taxação nos automóveis.

A dupla taxação é só por questões de contabilidade nacional. O governo pode acabar com ela e até subir o preço ds automóveis pois, Bruxelas não se preocupou com o valor da carga fiscal, preocupou-se só com a forma de cálculo.

A adesão à UE foi o pior erro estratégico feito por algum governo português desde a batalha de alcácer Quibir...

NuNo_R disse...

BoaS RAIO...

Mesmo apesar de concordar com alguns pontos que focaste, penso que o país precisa da U.E.
Mas precisa de uma U.E. onde possa florescer uma economia comercial e não uma U.E. castradora de liberdades como penso que esta se tornará num espaço de 20 anos. Em que seremos uns estados unidos da Europa e nada mais... e com todas as consequências negativas que isso é.
Quando digo que estamos melhor com a U.E., digo que talvez não tenhamos evoluido como evoluimos, pois apesar dos findos comunitários terem sido desbaratados, alguns foram fundamentais para o país e temos oexemplo da todos os paises europeus que querem aderir e com os que recentemente entraram na U.E.
Pois se não tivessesmos entrado, se já eramos a cauda da Europa, neste momento ainda seríamos mais, pois estamos numa ponta do continente e as nossas fronteiras são com o mar (recurso no seu todo mal aproveitado) e somente com Espanha.
Se por outro lado a nossa localização fosse mais central, teriamos melhores oportunidades comerciais com os paises fronteiriços e melhor desenvolver essas relações. Assim precisamos da U.E para dinamizar o " nosso" comércio externo.
Mas tb esse precisa que neste momento o euro pare de crescer e que as bolsas dos consumidores estejam mais abonadas...

Assim em jeito de conclusão, quero uma U.E mais virada para o comércio e não tão legisladora e castradora da soberania dos paises ( que só fazem o que "ela" quer!)como a que temos.

abr...prof...


abr...prof...

O Raio disse...

Caro nuno_r,

"penso que o país precisa da U.E."

Começas por dizer isto e depois quase só alnhas argumentos em contrário...

"não uma U.E. castradora de liberdades como penso que esta se tornará num espaço de 20 anos"

Se aguentar mais vinte anos, é inevitável.


"Em que seremos uns estados unidos da Europa e nada mais..."

Antes fosse!
É que há aqui uma grande confusão. A actual UE que retira a independência aos estados como Portugal é pior, muito pior que uma federação.
Numa federação existe sempre uma Câmarta alta em que todas as entidades federadas têm a mesma representação.. Nos Estados Unidos é o Senado, dois senadores por estado independentemente da população que tenham.
Isto dá uma autonomia aos estados muito longe da situação actual (e futura) da UE.

"pois apesar dos fundos comunitários terem sido desbaratados"

Falso! Isto é ua mentira mil vezes transmitida para nos convencerem de que se estamos atrasados a culpa é nossa, só nossa e inocentar a UE do mal que nos tem feito.

"temos oexemplo da todos os paises europeus que querem aderir"

Correcção, cujas elites querem aderir...


"Pois se não tivessesmos entrado, se já eramos a cauda da Europa, neste momento ainda seríamos mais"

Não vejo prquê!

"pois estamos numa ponta do continente e as nossas fronteiras são com o mar (recurso no seu todo mal aproveitado) e somente com Espanha."

Sim? E depois? Portugal aguentou-se bem nesta situação durante séculos.
O problema é que estavamos no centro do Mundo e agora, com a adesão à CEE/UE, trocamos o centro do Mundo pela periferia da Europa...


"Assim precisamos da U.E para dinamizar o " nosso" comércio externo"

O que não aconteceu nem acontecerá. Em 1974 1/3 do PIB vinha das exportações. Actualmente 1/3 do PIB vem das exportações...

"Assim em jeito de conclusão, quero uma U.E mais virada para o comércio e não tão legisladora e castradora da soberania dos paises ( que só fazem o que "ela" quer!)como a que temos"


O problema é que esta é a UE que temos e nada mostra que viremos a ter outra.

Uabraço

NuNo_R disse...

bOas raio...

O que eu pretendo da "Europa" já expus no post...

Mas mantenho a ideia que se não tivessemos aderido á C.E.E.
estariamos desenquadrados dos restantes países e pagaríamos uma "factura superior" pela não adesão.
Porque depois fechariam-nos completamente a quase tudo, a nivel comercial, e conómico e de liberdade de molvimentos, pois para aceder-mos por terra a qualquer parte da Europa, temos sempre de entrar por Espanha, logo entrar no espaço U.E.
E também mantenho a ideia da adesão pois sem as ajudas ( mal gastas) que recebemos, seríamos ainda um pais menos progresista que o que temos, pois a adesão facilitou-nos coisas dificeis de obter em "estado de não-adesão".

Quanto aos E.U.E., prefiro estar como estou, pois os tais "membros de caMara alta" seiam ainda mais pressionados pelos lobis a servir, e assim "divide-se o mal pela raiz" e imagina que os poucos "senadores" fizesem "panelinha" entre eles, o que aconteceria?
Seriamos ainda mais penalizados.
Logo prefiro que andem lá mais a "mamar" e no meio de tantos existirem alguns que façam a diferença.
Apenas isso.

Tens razão em dizer que esta é a U.E. que temos, mas cabe a nós, Povo e "mentes pensantes" lutar contra isso, atraves da palavra e acção.E não deixar que nos calem ou intimidem com atitudes que não respeitem os nossos direitos bem como0 a nossa constituição que alguém já se propos em alterar...

Quanto ás "elites", elas sempre existiram e existirão, pois infelizmente são eles que detêm o capital .

abr...prof...