quinta-feira, 6 de setembro de 2007

A “IBERIZAÇÃO” E CAVACO SILVA...

O nosso Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, disse não á fusão entre Portugal e Espanha, insurgindo-se contra a “iberização” da Península Ibérica.

Bem, podemos ficar descansados; Não é?!
E então a outra fusão que se avizinha?
A fusão Europeia...

Não se lembra ele desta?!

7 comentários:

Tiago R Cardoso disse...

Antes isso, que sermos invadidos telas tropas do Sr. Saramago.

O Profano disse...

EHEH

Mas a "outra" também não nos favorecerá...


abr...prof...

SILÊNCIO CULPADO disse...

Bom: vamos separar as águas. Uma coisa é um Tratado Europeu, com as suas vantagens e os seus inconvenientes mas mantendo uma especificidade, ainda que relativa, do espaço de cada uma dos países da UE. Outra coisa é Portugal ser anexado pela Espanha, como se de uma província se tratásse, renegando a sua identidade construída ao longo de um passado de lutas que nos enaltece. E depois há aqui uma questão amigo: se pensa que o tratado da UE nos vem tirar alguma autonomia veja só o que seria ser anexado pela Espanha e depois pelo tratado da UE porque a Espanha não prescindirá dele. Pesando os prós e os contras, e mesmo admitindo que os países mais frágeis fiquem numa posição menos confortável que os mais fortes no seio da UE, eu prefiro assim a ficar de fora. Nós não temos condições de sobrevivência fora do espaço europeu. É a minha convicção.

CHEVALIER DE PAS disse...

Ele é mais pela fusão gastronómica!

R. da Cunha disse...

Não se pode confundir coisas distintas. De qualquer modo, nunca poderia haver uma fusão num Estado como o Espanhol que é constituido por várias nações; poderia haver, sim, uma integração, não desejável, nem viável, creio eu.
A UE é outra coisa, como sabemos, onde cada Estado conserva a sua soberania em múltiplos campos.

O Profano disse...

BoAS...

Para o "silêncio culpado" e para o "r. da cunha"...

OBS: Faço o comentário para os dois, pois a resposta seria a mesma, assim não repito a escrita ;)

Longe de mim querer uma anexação a Espanha ou a outra nação qualquer.
Acima de tudo sou Português e "ainda" tenho orgulho em se-lo.

Aceitei de bom grado a nossa nossa adesão á CEE porque a mesma era uma aliança económica .
Mas começo a ter uns pensamentos contrários á forma como a UE está a levar a cabo politicas que têm como fim, o fim das autonomias nacionais ( a longo prazo), bem como as consequencias do livre trânsito de membros comunitários, o livre comércio e a liberalização de serviços que se avizinha. Espero com ansiedade o final de 2010 para ver o que nos espera em termos comunitários...


abr...prof...

O Profano disse...

oLÁ chevalier...

Parace-me que no almoço organizado por Durão Barroso, que a fusão gastronómica foi boa; a ler pelo que vem no "DN" de hoje... eheh

bjs