sexta-feira, 7 de setembro de 2007

POLÍCIAS. “BRUTOS” OU “MANSOS”?!

Devido a um VIDEO que anda a circular nos emails e na internet sobre uma alegada carga policial perpetrada por elementos da P.S.P. sobre alguns civis.
( Digo alegada, porque ainda não foi provada a origem das fardas e da sua legalidade).
Venho expor as minhas dúvidas para que me possam ajudar a entender este caso de violência policial.

Não sei em que contexto ou com que intenções foi efectuada aquela filmagem.
Mas a ser verídico que aquela actuação foi feita por elementos da PSP, falta saber os motivos que levaram a ter aquela atitude por parte dos policias. Seria “legitima defesa” ou “violência gratuita”?

Mas questiono:
Quando a polícia age de forma mais “aguerrida”, é considerada violenta e brutal;
Quando não actua ou age de forma mais “civilizada”, então são conotados como “demasiado brandos ou temerosos”.
( Temos como exemplo a actuação da GNR no caso da invasão do campo agrícola de Silves por activistas anti-OGM).

Então em que ficamos!?

Post Scriptum (PS): Tenho como principio existencial que quem viola a Liberdade, a Integridade fisica, psicológica e moral de alguém, quem viola o espaço, bem ou propriedade privada/particular deva ser severamente punido.
Não me importa quem sejam os intervenientes, se civis ou elementos pertencentes a forças de “autoridade”.

Assim sendo, devem estes “prevaricadores” serem punidos pelos crimes e abusos perpetrados.

16 comentários:

Samir Machel disse...

Eu não sei se os rapazes em questão se fizerem algo de "mal". Não sei e não me interessa. Se sim é matéria de tribunal.

O que quer que tenha acontecido não justifica o arreio de porrada que se verificou. Se o polícia terá sido "provocado" (como alguns alegam) tal não é desculpa para "ser um rufia" e muito menos para ser não sei quantos contra um.

A polícia não se pode comportar assim no dito "estado de direito". Se há problemas resolve as coisas com calma, evitando confronto físico e deixa as matérias de facto para os tribunais (ao invés do correctivo policial defendido por muitos).

O problema é que provavelmente não podemos falar desse "estado de direito". Uma larga parte da população está sistematicamente sujeita a que lhe aconteça azares. De cair de uma escada a sair por uma janela. Da bala disparada para o ar atingir-lhe o cérebro. Ou ser simplesmente sistematicamente aterrorizada por uma série de bestas fardadas.

O Profano disse...

Caro samir...

Compreendo e bem a "ira" com que falas, pois também já fui vitima da tal "brutalidade policial".
Umas vezes por estar nos locais errados a horas erradas, outra devido a situações de conflito em que quando estes "meninos" chegam , não vêm para falar, mas sim para bater.

Mas mesmo assim, considero que se devia defenir melhor o que é um "policia", as suas "funções" e " deveres".
Quando nós cidadãos percebermos melhor isto, imediatamente a atitude policial será diferente.
Mas também cabe a nós cidadãos sermos civilizados e viver respeitosamente e educadamente. Mas nem isto, a somos a maioria das vezes; e depois acontecem estes "casos policiais"...

abr...prof...

Tiago R Cardoso disse...

A provar-se a veracidade do vídeo é grave, no entanto conforme disse é preciso que se confirme o contexto das imagens, já agora não há imagens de antes? e não há de imagens do depois?, se calhar é melhor esperar pelos resultados finais e esperar que sejam imparciais, com a atribuição de culpas aos respectivos culpados.

O Profano disse...

É isso que eu espero.
Que "justiça" funcione.

Mas no "CORREIO DA MANHÃ" online v~em mais informações sobre este assunto.

Mas gostava de ver, tal como sugeriste, o antes e o depois daqula filmagem...


abr...prof...

Kolmi disse...

"Então em que ficamos!?"

Olha sabes o que te digo... aqueles meninos tadinhos, que estariam a fazer para tal acontecer!?
Esta gentinha só se lembra de água quando faz calor, nunca nada está correcto para eles, talvez se um dia virem o carro desparecer, um filho ser agredido ou outras situações já não tenham tanta peninha dessa gentinha, digo eu...

Sniqper

SILÊNCIO CULPADO disse...

Por acaso eu fiz uma postagem sobre isso mas com as devidas reservas. Em sociedades democráticas não é aceitável um abuso de autoridade sobretudo em situações em que tal não tem a mínima justificação. Porém compreendo que a policia não tem grandes alternativas em determinados casos pois se não actuar acaba por ser abatida. Neste caso concreto também é provável que possa não ser verdade a imagem que se pretende passar. Finalmente importa que cada um sinta e exija desta sociedade que ela amadureça e evolua de forma a não criar situações que propiciem estes confrontos.
Um abraço e bom fim de semana

O Profano disse...

Boas snqper...
Compreendo as tuas afirmações.
A "frio" pensamos diferente de quanto estamos a "quente" e debaixo de uma situação que nos prejudique.

Mas ambas as posições são ingratas.

Como afirmei anteriormente, já fui vitima de brutalidade policial quando a mesma nem se justificava. Mas também já "aplaudi" situações em que a policia tinha muita razão em agir brutalmente.

Depende sempre da posição em que nos encontremos na situação. Apesar de eu regermo pelos pricipios que afirmei no Post Scriptum do post.


abr...prof...

O Profano disse...

caro silêncio culpado...

Deve ser a sociedade e cada um de nós,m a gerirmos o nosso comportamento para que não existam abusos nossos, nem que "obriguemos" a existirem abusos por parte de forças de autoridade.
O "saber estar", o ser educado, ser civico, são tudo obrigações que cada um de nós deve ser. Principalmente num Estado que se afirma democrático e de "direito".


abr...prof...

J.G. disse...

Nunca gostei de fardas, confesso, à excepção dos bombeiros.

Há polícias muito estúpidos, mas há indivíduos muito insurrectos e ordinários. Se fosse polícia e me dessem condições decentes para desmpenhar bem a minha profissão, e desse com alguns desses sacanas que adoram viver bem à custa do alheio, ai arriava-lhes forte e feio, arriava!

No caso aqui referido, estou completamente às escuras.
Um abraço.

Papoila disse...

Não vi o video...
Não vou julgar o caso concreto.
Só que muitas vezes a polícia sente que está de mãos atadas. SE actua é porque actua se nada faz é porque nada faz...

Assim não dá para ser polícia num país destes.

bjs
BF

O Profano disse...

oLá j.g...

Apesar de em algumas situações ( ainda que excepcionais) ter a mesma ideia que o J.G.; não poderia ser sempre assim, caso contrário a população revoltaria-se e viveriamos debaixo de uma "ditadura".
Creio é que se as pessoas agissem mais civilizadamene, não seria necessário a policia usar de "autoridade" sobre elas...


abr...prof... bfds

O Profano disse...

OlÁ PAPOILA...

Por a poicia muitas vezes se encontrar nessas situação é que depois abusam da sua autoridade.

bjs e bfds

CHEVALIER DE PAS disse...

tanta hipocrisia no PS!
vou vomitar!

O Profano disse...

???????????

CHEVALIER DE PAS disse...

quanta hipocrisia no post sciptum!

quando não te interessa, sabes a música toda!
é que isto anda tudo a ferver cá dentro de tanta raiva e ódio!

O Profano disse...

Não existe nada de hipocrisia no Post Scriptum.
É esta a minha forma de estar na vida.
Condeno quem acho que devo condenar, sem olhar á posição que ocupam,
Sejam eles quem forem.
É esta a minha "justiça".
Quando vejo que algo para mim está errado, critico e condeno; Quando acho que é bom e corecto, louvo e elogio.
Neste caso em particular, condeno a atitude policial, pois acho que foi extremosa (pelo que mostram as imagens!).
Mas se fosse um bando a atacar um policia, condenaria a agressão da mesma forma como condeno a actual.
A isso chamo "justiça de opinião" e ser justo.
Nada mais...

OBS: Existiria sim hipocrisia, se defendesse só um lado ou apenas uns dos intervenientes.
Mas não. Condeno a atitude e quem a praticou!

bjs