segunda-feira, 10 de setembro de 2007

NO REINO UNIDO FALA-SE INGLÊS, EM PORTUGAL...

No Reino Unido está a ser discutida uma proposta do governo britânico em matéria laboral, em que será necessário a um trabalhador não comunitário saber falar inglês para puder trabalhar em Inglaterra.

Se isto acontecesse em Portugal, ficaríamos sem imigrantes, a ver pela grande maioria que não fala inglês e muito menos português.

Não falo sem saber, pois diariamente me debato com esta situação, em que imigrantes têm de recorrer a amigos e interpretes para dizer o que querem ou o que necessitam para eles.

Seria razoável a aplicação desta medida em Portugal?

Penso é que cada pessoa que emigra para um país se deve adaptar ás condições desse país, á sua linguagem e á sua legislação, caso contrário não irá para lá fazer nada e nem melhorará a sua vida nem beneficiará o país de acolhimento com a sua estada lá.

Para mim a Emigração/Imigração é uma relação simbiótica em que para se receber algo também temos dar algo de nós.

Se queremos levar uma vida melhor e viver com melhores condições, necessariamente teremos de dar o nosso contributo e o nosso melhor para o progresso do país que nos acolhe.

Penso que será justo e coerente ter esta atitude.

10 comentários:

J.G. disse...

Entendo que tem razão. Um dos males dos emigrantes portugueses, por exemplo, é darem-se pouco às terras que os acolhem, como se para eles apenas representem sítios de passagem onde vão ganhar mais dinheiro e nada mais do que isso. Perdem bastante com essa atitude, pois nem sequer recolhem qualquer ensinamento da nova cultura que os acolhe.

Quando voltam, nada de novo trazem com eles, não ajudando assim ao evoluir de conceitos e de estilos de vida no seu próprio país.
É uma atitude negativa, de recusa de novas aprendizagens.

E o mesmo se dá com outras comunidades.

Um abraço.

O Profano disse...

BoAS J.G....
Por acaso a minha abordagem até nem era por aí, mas aimda bem que o meu amigo tocou nesse aspecto.
Custa-me assistir todos os anos no mês de Agosto ( pricipalmente nesse mês) a chegada de tantos emigrantes portugueses ( e falo com muitos) que nada melhoraram na sua cultura pessoal, apesar de habitarem em paises ricos em cultura, meio ambiente e paisagens bonitas de se ver, e nada disso. Muitos só conhecem o caminho para o trabalho, as redondezas da sua vila ou cidade e pouco mais. Estou sempre a "picar-lhes" os miolos, para que se integrem mais nas suas comunidades, e que conheçam mais locais e que visitem os sitios que fizeram a história desses paises.
Podem argumentar que por falta de tempo ou dinheiro, não fazem tais deslocações, mas nem sempre o dinheiro serve como desculpa.
Não pode ser somente poupar e nada conhecer.
Afinal quando retirnarem de vez a Portugal, o que trarão nas malas, somente a reforma e nada mais. Pois memórias, só mesmo a do tempo passado e pouco mais. E isso é para mim, muito pouca e nada gratificante para o esforço que fazem ao viver num país que não o seu de origem.


abr...prof...

C Valente disse...

De facto, entendo que os imigrantes não sejam obrigados a saber a lingua do país de acolhimento, (pois já é dificil para ele estar num ambiente estranho e nem saber a lingua pelo que será o mais interessado em apreder, agora o que parece, o Reino Unido quererá evitar os imigrante e clandestinos do Magebe quea lingua mais frequente sem ser a nativa , é o frances, Se portugal usar o mesmo metodo, então mais de 50% terão de sair do país
saudações amigas

CHEVALIER DE PAS disse...

bem eu nem consigo comentar isto!

O Profano disse...

bOas c_valente...

Compreendo que a integração num país e/ou cultura diferente sejam bastante dificeis, mas um requisito para qualquer pessoa é saber falar a lingua do pais onde irá viver, caso contrário a sua integração será mais dificultada bem como essa experiência, será bastante negativa.
Como é lógico, é dificil sabermos as linguas todas, mas muita gente que emigra nem o inglês ou francês sabe. Vão mesmo ao "escuro"...

abr...prof...

O Profano disse...

oLÁ CHEVALIER...

Então não consegues comentar? E porquê?

Aqui só és "obrigada" a falar em português :)

bjs

António de Almeida disse...

-Em primeiro lugar terão de abrir excepção a todos os cidadãos oriundos da U.E., onde todas as linguas são consideradas oficiais. Logo a medida só terá efeitos prácticos sobre Árabes, Hindus, Chineses e outros.

O Profano disse...

BOAs antónio...

É verdade.
Logo penalizarão directamente os povos que mais emigram para a UE.
Que por norma são aqueles que se sujeitam a fazer os trabalhos dito "menores", mas não menos dignos.
Assim, os portugueses lá se safarão "abroad"...


abr...prof...

Menino Mau disse...

agora já é necessário fazer testes em português.lembro-me de algumas reportagens de imigrantes a fazer o teste que passaram na TV

O Profano disse...

Mas penso que isso é só para quem vai ter direito a nacionalidade. Para trabalhar ainda não é requisito.

abr...prof...